Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Naomi Matsui

Associação de fintechs rebate Febraban: bancos recebem mais vantagens

Zetta afirma que há uma assimetria regulatória que favorece os bancos tradicionais

atualizado 21/09/2021 10:43

NubankDivulgação

A Zetta, associação fundada por Nubank, Mercado Pago e Google, rebateu nesta terça-feira (21/9) a Febraban e afirmou que os bancos tradicionais são mais beneficiados pela legislação do que as fintechs.

“A assimetria regulatória favorece os bancos tradicionais com vantagens competitivas e econômicas, e não as fintechs, que têm maiores exigências financeiras e mais requisitos legais”, disse a Zetta, em um texto publicado no LinkedIn.

A postagem vem em uma reação a uma publicação em que a Febraban acusou as fintechs de evitarem o pagamento de impostos e de obrigações trabalhistas.

No post desta terça-feira, a Zetta afirmou que a Febraban tenta confundir a opinião pública e disse que os bancos têm benefícios como linhas de crédito de liquidez proibidas às fintechs e a possibilidade de usar valores depositados em suas contas para gerar empréstimos, o que também não há para fintechs.

A Zetta afirmou que, apesar dessas desvantagens, oferecem aos clientes uma série de isenção de tarifas e taxas de juros mais baixas.

O fundador e CEO do Nubank, David Vélez, também publicou nesta manhã uma resposta direcionada à Febraban. “Primeiro eles te ignoram. Depois, eles riem de você. Depois, eles lutam contra você e, então, você vence. Sábias palavras atribuídas a Mahatma Gandhi”, escreveu Vélez em sua página no LinkedIn.

Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna