Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Paulo Cappelli

Afastar Ribeiro seria “aceitar existência de corrupção” para Bolsonaro

Jair Bolsonaro tem sido pressionado a afastar o ministro da Educação, pastor Milton Ribeiro, alvo da PGR

atualizado 28/03/2022 15:12

Bolsonaro e Milton Ribeiro assinam novo reajuste para professores da educação básica 6

Jair Bolsonaro não queria afastar o ministro da Educação, Milton Ribeiro, suspeito de participar de um esquema de propina com pastores, porque para ele significaria “aceitar a existência de corrupção” em seu governo.

O presidente não acredita que Ribeiro tenha cometido crime, mas está sendo pressionado a afastar o pastor do cargo por aliados do Centrão e da bancada evangélica.

Segundo fontes próximas ao presidente, ele está “tranquilo porque sabe da integridade do ministro”, mas ministros do Centrão e líderes da bancada evangélica vêm pressionando Bolsonaro sobre o desgaste que as denúncias representam tanto para o governo, quanto para os evangélicos.

Conforme a coluna revelou, Ribeiro discutiu sua licença da pasta com Bolsonaro neste fim de semana. O ministro quer um tempo para se defender das acusações de participação em propina.

0

Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

Siga a coluna no Twitter e no Instagram para não perder nada.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna