Com Bruna Lima, Edoardo Ghirotto, Eduardo Barretto e Paulo Cappelli

Mulher e filha de pastor lobista do MEC receberam auxílio emergencial

Há duas semanas, pastor Gilmar Santos, alvo da PGR e da PF, investiu R$ 450 mil em negócios; filha trabalha na Câmara

atualizado 25/03/2022 17:20

pastor gilmar santos mec gabinete paralelo goias (2)Instagram

A mulher e uma filha do pastor Gilmar Santos, investigado por cobrar propina para destravar recursos no Ministério da Educação, receberam cerca de R$ 10 mil em auxílio emergencial do governo federal até o ano passado. Há duas semanas, o pastor investiu R$ 450 mil para fundar uma faculdade e uma editora.

Filha do pastor, Quézia dos Santos obteve R$ 5,2 mil de auxílio do governo federal, entre abril de 2020 até julho de 2021. Desde junho do ano passado, Quézia tem um cargo de confiança na Câmara dos Deputados e recebe R$ 4,2 mil mensais, como mostrou o repórter Bruno Abbud. Ela foi nomeada no gabinete do deputado João Campos, do Republicanos de Goiás, integrante da bancada evangélica e próximo a Gilmar Santos.

A pastora Raimunda dos Santos, casada com Gilmar, recebeu R$ 4.650 de auxílio durante a pandemia, de junho de 2020 até outubro do ano passado. Uma das exigências para obter o socorro financeiro do governo federal é ter uma renda familiar mensal de até R$ 3,3 mil.

No início deste mês, Gilmar Santos investiu R$ 450 mil para criar uma faculdade e uma editora em Goiás, como informaram os repórteres Dimitrius Dantas e Daniel Gullino. Apesar do pagamento, o líder religioso deve R$ 204 mil à União.

Atualmente, Gilmar Santos é investigado na PGR e na PF por pedir propina para vender facilidades no Ministério da Educação, comandado pelo pastor Milton Ribeiro. Um prefeito acusou Santos de pedir o dinheiro ilegal por meio de venda de Bíblias.

 

0

Já leu todas as notas e reportagens da coluna hoje? Clique aqui.

Siga a coluna no Twitter e no Instagram para não perder nada.

Mais lidas
Siga as redes do Guilherme Amado
Últimas da coluna