Observadora do cenário político do DF, lança luz nos bastidores do poder na capital.

Justiça dá 72h para Bolsonaro se manifestar sobre troca na Petrobras

Uma ação popular com pedido liminar tenta impedir a substituição do presidente Roberto Castello Branco pelo general Joaquim Silva e Luna

atualizado 22/02/2021 17:44

Presidente Jair Bolsonaro defende uso do spray de Israel contra coronavírusHugo Barreto/Metrópoles

A Justiça Federal deu prazo de 72 horas para que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e a Petrobras se manifestem sobre pedido de liminar para impedir a mudança na gestão da empresa.

Indicado para assumir a chefia da Petrobras no lugar de Roberto Castello Branco, o general Joaquim Silva e Luna também deve ser intimado, conforme despacho expedido nesta segunda-feira (22/2) pelo juiz André Prado de Vasconcelos, da 7ª Vara Federal Cível de Minas Gerais.

“Por oportuno, destaco que, conforme amplamente divulgado pelos veículos de comunicação, a aprovação do indicado para a presidência da Petrobras depende de deliberação do respectivo Conselho de Administração, ainda não ocorrida. Assim, intimem-se os réus tão somente para manifestação, no prazo de 72 horas, sobre o pedido de liminar, articulando, de forma concisa e objetiva, as razões e argumentos que entender pertinentes e relevantes à discussão da causa”, escreveu o magistrado.

Os advogados Gabriel Senra da Cunha Pereira e Daniel Perrelli Lança entraram com uma ação popular na Justiça Federal de MG com objetivo de barrar a troca de presidente da Petrobras, anunciada por Bolsonaro na última sexta-feira (19/2). Pereira confirmou à coluna Grande Angular o teor da solicitação e disse que a mudança trata-se de um “ato ilegal”.

A decisão de substituir Castello Branco ocorreu após uma sequência de alta nos preços da gasolina e do diesel vendidos às refinarias. Para ser efetivada, a mudança precisa ser aprovada no Conselho de Administração da Petrobras, que tem reunião marcada para esta terça-feira (23/2).

O anúncio gerou reação do mercado financeiro, com queda das ações da petroleira e aumento do dólar. Em contrapartida, integrantes do governo saíram em defesa da prerrogativa de Bolsonaro para escolher o presidente da Petrobras.

Acionada pela coluna, a Advocacia-Geral da União (AGU) disse não comentar processos em tramitação judicial.

Confira, na íntegra, o despacho do juiz da 7ª Vara:

Justiça dá 72h para Bolsonaro se manifestar sobre troca na Petrobras
Justiça dá 72h para Bolsonaro se manifestar sobre troca na Petrobras

Últimas notícias