Este é um espaço para celebrar a vida e as pessoas. Viaje comigo nesta aventura!

Princesa italiana pode ser presa após batalha por herança milionária

Camilla de Bourbon perdeu recurso contra multa de 2 milhões de libras, relacionada a uma batalha travada há 10 anos com sua irmã, Cristiana

atualizado 24/02/2021 18:00

Família Real dos Bourbon Duas SicíliasDivulgação

Mais um escândalo tomou a monarquia recentemente – desta vez, envolvendo a princesa italiana Camilla Crociani, esposa do duque de Castro, Carlos de Bourbon Duas Sicílias. Ela perdeu um recurso contra multa de 2 milhões de libras, relacionada a uma batalha travada há 10 anos com sua irmã, em prol de uma herança multimilionária. A princesa pode até mesmo ser presa por conta do imbróglio judicial.

Em dezembro de 2020, um Tribunal Real na Ilha do Canal de Jersey decidiu que Camilla havia ignorado uma ordem judicial, cabendo a ela pagar a altíssima muita. A penalidade ocorreu devido ao desacato à corte judiciária, após a integrante da realeza se recusar a revelar onde estava a pintura Hina Maruru, do pintor francês Paul Gauguin, avaliada em 50 milhões de libras.

Camilla de Bourbon das Duas Sicílias
Camilla de Bourbon das Duas Sicílias, duquesa de Castro

Camilla tinha sido avisada sobre a multa em novembro do ano passado. Depois de perder o recurso, ela ainda foi advertida de que enfrentaria uma sentença de prisão de 12 meses se não pagasse a punição em até sessenta dias.

De acordo com o Daily Mail, ela interpôs recurso contra a multa, sob a alegação de que não tinha acesso imediato a 2 milhões de libras. A princesa chegou a fazer um pedido de suspensão do processo, embora o tribunal saiba que ela já havia sido comunicada sobre a possibilidade do valor elevado.

“Ela sabia desde 25 de fevereiro de 2020 que o tribunal estava a considerar a imposição de uma multa substancial. Ela sabe o valor exato da multa desde 22 de dezembro de 2020. Nessas circunstâncias, teve todas as oportunidades de apresentar provas a respeito dos seus recursos financeiros, tanto de receita como de capital, tanto líquidos como ilíquidos”, publicou o Tribunal de Recurso, que considera o prazo de pagamento “totalmente razoável”.

Como tudo começou

A contenda teve início quando a atriz italiana Edoarda Crociani (conhecida como Edy Vessel) criou um fundo fiduciário para suas duas filhas, Cristiana e a princesa Camilla, quando eram adolescentes, em 1987. A estrela do cinema era viúva de um empresário muito rico, falecido em 1980, que havia acumulado uma riqueza considerável, além de uma coleção de artes finas.

Princesa Camilla com sua mãe, Edoarda Crociani
Princesa Camilla com sua mãe, Edoarda Crociani

Em 2010, 100 milhões de libras em investimentos e obras de arte foram transferidos do fundo para o nome de Edoarda. Temendo que o dinheiro estivesse sendo dado à sua irmã, Cristiana entrou com um processo judicial em 2012, alegando que medidas estariam sendo tomadas para impedi-la de herdar a propriedade da família.

Segundo o Telegraph, em 2017, o Tribunal Real ordenou que Edoarda e o banco BNP Paribas Jersey Trust Corporation Limited reconstruíssem o fundo, que inclui a obra-prima de Gauguin. A princesa Camilla, à época, teve que informar detalhes da riqueza de sua mãe para o BNP. A sua alteza real, no entanto, recusou-se a dizer os locais onde estariam a pintura e outros bens.

Camilla e o marido, príncipe Carlos, têm duas filhas: Maria Carolina, duquesa da Calábria e de Palermo, de 17 anos; e Maria Chiara, de 16.

Para saber mais, siga o perfil da coluna no Instagram.

Últimas notícias