Mesmo com moderação, consumo de álcool aumenta risco de câncer

Estudo demonstra que mais de 50% das ocorrências da doença poderiam ter sido evitadas, caso houvesse prevenção

IstockIstock

atualizado 30/07/2018 10:12

Não é novidade que o consumo exagerado de álcool faz mal à saúde. Há décadas, pesquisas demonstram: além da famosa cirrose hepática, o hábito descontrolado representa em torno de 3% a 10% de todos os casos de cânceres, sendo os mais frequentes o de orofaringe, esôfago, gástrico, cólon, laringe, reto, mama e fígado, claro.

A descoberta foi feita pelo European Institute of Oncology de Milão, em pesquisa publicada no Annals of Oncology. De acordo com 222 artigos analisados, o consumo de 12,5g, ou um drink diário (menos de 100ml de vinho ou uma cerveja), aumenta o risco de alguns tipos de câncer, como o de cavidade oral, faringe, esôfago e mama.

Dados de pesquisas como os publicados no The Oncologist, em 2010, demonstram que mais de 50% das ocorrências da doença poderiam ter sido evitadas, e não há dúvidas: bons hábitos, como exercício, alimentação, controle do peso, ausência de tabaco estão entre os principais fatores de prevenção.

SOBRE O AUTOR
Sabrina Mundim

Graduada em Educação Física pela Universidade Católica de Brasília (UCB), é especialista em Emagrecimento e Treinamento Resistido pela Universidade Gama Filho. Atualmente, colabora com o portal Metrópoles na coluna Na Medida.

Últimas notícias