Falta de flexibilidade compromete os resultados na musculação?

Há outro aspecto importante a se considerar ao praticar a atividade física

UnsplashUnsplash

atualizado 22/08/2019 9:46

Será que a falta de flexibilidade influencia negativamente nos resultados da musculação (treino de força)?

Se você sempre teve essa curiosidade, a resposta é: não. Mais importante do que a flexibilidade em si é a mobilidade, definida de forma simples por Michael Boyle como o quão bem uma articulação se movimenta.

Existem muitas pessoas com problemas nas articulações, principalmente no tornozelo, quadril e ombros. Isso, sim, interfere no movimento, gera dor e, como consequência, faz diferença no resultado, seja estético, seja da performance.

Por isso, estratégias para melhorar a mobilidade articular são bastante importantes. Há diversas maneiras de aumentar a mobilidade ou o arco de movimento. Embora a forma mais praticada é o exercício de alongamento estático, é muito válido priorizar outras técnicas, como liberação miofascial, alongamento dinâmico e pré-contração.

Esses métodos podem ser inseridos na preparação para o treino, visto que o objetivo é fazer com que o corpo atue de maneira mais eficiente nos movimentos da parte principal do exercício.

É importante esclarecer que a flexibilidade é uma capacidade que compõe a aptidão física e, por isso, devemos também estar atentos aos níveis que atingimos.

Busque orientação de um profissional qualificado.

SOBRE O AUTOR
Sabrina Mundim

Graduada em Educação Física pela Universidade Católica de Brasília (UCB), é especialista em Emagrecimento e Treinamento Resistido pela Universidade Gama Filho. Atualmente, colabora com o portal Metrópoles na coluna Na Medida.

Últimas notícias