TCDF reduz salários iniciais do quadro e prepara concurso para 2020

Medida economiza recursos para o preenchimento de vagas criadas após pedidos de aposentadoria de funcionários de carreira

Rafaela Felicciano/MetrópolesRafaela Felicciano/Metrópoles

atualizado 25/09/2019 15:37

O Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF) decidiu reduzir o valor do salário inicial dos atuais R$ 18.938,23 para R$ 16.673,35 ao servidor que ingressa na carreira de auditor. O projeto de lei de autoria do órgão foi encaminhado para a Câmara Legislativa (CLDF), aprovado pelos distritais e sancionado nesta quarta-feira (25/09/2019) pelo governador Ibaneis Rocha (MDB).

A nova lei prepara o quadro funcional da instituição para, além de evitar problemas futuros com a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), economizar com a realização de concurso público no ano que vem. A expectativa é que haja prova para todas as carreiras internas.

À coluna, o TCDF explicou que foi alterada a estrutura remuneratória dos cargos de auditor de controle externo, analista de administração pública, técnico de controle externo e técnico de administração pública. Na prática, haverá maior amplitude ao escalonamento de vencimentos.

Edital

Há a expectativa de que a Corte de Contas lance, em 2019, edital para preencher as vagas abertas em decorrência de pedidos de aposentadoria de servidores do quadro.

“Essa medida legislativa tem por objetivo a redução dos gastos públicos com a reposição de pessoal em razão de aposentadorias e demais vacâncias de cargos, tendo em vista que essa reposição será feita com base em valores remuneratórios iniciais inferiores aos atualmente em vigor”, informa o órgão.

“Além disso, o impacto nas despesas de pessoal decorrente de progressões funcionais será minimizado”, conclui o TCDF.

Veja como ficaram as novas remunerações:

Reprodução / DODF

SOBRE O AUTOR
Caio Barbieri

Cursou jornalismo no Centro Universitário de Brasília (UniCeub). Passou pelas redações do Correio Braziliense, Agência Brasil, Rádio Nacional e foi editor-adjunto da Tribuna do Brasil. Ocupou a assessoria especial no Ministério da Transparência e foi secretário-adjunto de Comunicação do GDF. Chefiou o relacionamento com a imprensa na Casa Civil, Vice-Governadoria, Secretaria de Habitação e na Secretaria de Turismo do DF. Fez consultoria para vários partidos, entidades sindicais e políticos da Câmara Legislativa e do Congresso Nacional. Assina a coluna Janela Indiscreta do Metrópoles e cobre os bastidores do poder em Brasília.

Últimas notícias