*
 
 

O PDT do Distrito Federal decidiu neste sábado (7/7) lançar o nome do ex-deputado distrital Peniel Pacheco ao Governo do Distrito Federal. Há meses, a legenda tentava costurar um caminho para as eleições de outubro. O presidente da Câmara Legislativa, Joe Valle, será candidato ao Senado. As demais vagas na chapa majoritária estão reservadas para futuras alianças.

“Essa decisão tem o objetivo de mostrar a estatura do PDT para participar do processo como protagonista e não como uma legenda auxiliar. Temos uma candidatura forte à Presidência da República [Ciro Gomes] e também importantes projetos para tirar Brasília dos grandes problemas crônicos”, declarou Pacheco.

O presidente regional da sigla, Georges Michel, disse que após ser referendado em reunião na sede regional da legenda, o nome de Peniel Pacheco será apresentado nas convenções marcadas para 4 de agosto. “Esse é o processo natural. Agora, o partido está unido e com um projeto próprio para a nossa cidade”, afirmou o dirigente pedetista.

A pré-candidatura própria põe pá de cal na esperança do governador Rodrigo Rollemberg (PSB) de tentar atrair o PDT-DF no seu projeto de reeleição ao Palácio do Buriti.

O diretório regional estava sendo pressionado pelo comando nacional. Isso porque, em nome do fortalecimento da candidatura de Ciro Gomes ao Planalto, os pedetistas flertavam país afora com o PSB, o que exigiria uma aliança local com Rollemberg.

Embora unidos na campanha de 2014, integrantes do PDT e PSB viveram momentos de grave enfrentamento ao longo da gestão socialista no comando do Palácio do Buriti. À época, Joe Valle ocupava a Secretaria de Trabalho, Desenvolvimento Social e Direitos Humanos (Sedestmidh) do governo Rollemberg, mas diferenças levaram o pedetista a pedir exoneração do cargo.

Repercussão
Procurado pelo Metrópoles, o presidente do PSB-DF, Tiago Coelho, afirmou ter tomado conhecimento da decisão pela reportagem. Disse também que o partido só irá se pronunciar oficialmente após saber em detalhes os motivos da legenda.

No começo do ano, a ideia inicial do PDT era formar uma frente em torno de Jofran Frejat (PR). Mas a proximidade do ex-secretário com o ex-governador José Roberto Arruda e outros nomes como o do deputado Alberto Fraga (DEM) acabaram desagradando parte da sigla.

“A candidatura própria sempre foi a opção correta para o PDT, mas o partido perdeu três meses por causa da frustrada e absurda tentativa de Joe Valle de fazer aliança com Frejat, Arruda, Filippelli e companhia. Embora correto politicamente, o lançamento de um candidato agora é apenas para tentar impedir a legenda de apoiar Rollemberg em função de uma aliança nacional”, avaliou o pedetista Hélio Doyle, ex-chefe da Casa Civil do atual governo, que chegou a ser cotado para disputar o GDF no lugar de Pacheco.

Já o pré-candidato Jofran Frejat (PR) lamentou o fato de não estar caminhando com o PDT na campanha deste ano, mas reconheceu a legitimidade da decisão: “Conheço o Peniel Pacheco há muitos anos, tenho estima por ele, um homem correto, um pastor. Gostaria de que estivéssemos juntos, mas se decidiram por esse caminho, vamos ter de disputar. Isso é como uma partida de futebol: cada um apresenta seu time”.



 


Georges MichelJoe VallePDT-DFPeniel Pacheco