*
 

Um dia depois de o PDT-DF anunciar a decisão de esperar a formação de coligações nacionais para definir o rumo nas eleições de outubro, o governador Rodrigo Rollemberg (PSB) fez questão de marcar presença na sabatina do pedetista Ciro Gomes, pré-candidato ao Palácio do Planalto. O evento foi organizado nesta quarta-feira (4/7) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

O governador do DF chegou para acompanhar exclusivamente a participação de Ciro Gomes, por volta das 14h, fora da agenda oficial, embora outros presidenciáveis tivessem sendo sabatinados também.

A presença no Centro Internacional de Convenções de Brasília e o abraço caloroso no presidenciável nem de longe foram despretensiosos. Rollemberg quer o apoio do PDT em sua chapa à reeleição. Com a possibilidade de as decisões serem verticalizadas, conquistar o apoio de Ciro Gomes é quase garantia de uma possível aliança nacional entre PDT e PSB ser replicada na capital.

A persistência do governador tem um motivo: uma coligação entre as duas legendas não é consenso no PDT local. O partido está dividido. No início de 2018, chegou a anunciar o nome do presidente da Câmara Legislativa, Joe Valle, como pré-candidato ao Palácio do Buriti. Ele declinou.

Parte da sigla defende o nome de Peniel Pacheco para o Buriti. Outro grupo quer uma coalizão em torno do ex-secretário Jofran Frejat (PR).

Carlos Lupi, presidente nacional do PDT, tenta ganhar tempo para apaziguar os ânimos e ratificar a aliança. No entanto, recentes declarações de pedetistas brasilienses sobre a legenda “caminhar sozinha”, caso a união com Rollemberg se efetive, o abalaram.

O possível motim dentro do PDT-DF é uma bomba-relógio que pode explodir a qualquer momento.