Contra relatório, Israel corre para excluir professores da Previdência

Integrante da Comissão Especial, deputado costura apoio para aprovar emenda que retira docentes do texto-base aprovado sobre a reforma

Daniel Ferreira/ MetrópolesDaniel Ferreira/ Metrópoles

atualizado 08/07/2019 15:55

Com o aceno do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), de votar, ainda nesta semana, o relatório da reforma da Previdência no plenário, os congressistas contrários ao texto-base aprovado na Comissão Especial da Reforma da Previdência correm contra o tempo na tentativa de retirar categorias que se dizem prejudicadas pela proposta do relator Samuel Moreira (PSDB-SP). É o caso do deputado Professor Israel Batista (PV-DF), autor de emenda que exclui os professores da canetada.

O parlamentar costura apoio para reverter porque considera a nova aposentadoria dos professores como “injustiça”. “O Brasil é líder mundial em indisciplina dentro de sala de aula, de violência nas escolas e também é o número um em desvalorização do professor. Manter os docentes nessa reforma, sem enviar ao Congresso um novo plano de carreira para eles, só atesta a postura de descaso com a educação”, disparou o parlamentar à coluna.

O congressista tem menos de 48 horas para que a investida dê certo.

 

SOBRE O AUTOR
Caio Barbieri

Cursou jornalismo no Centro Universitário de Brasília (UniCeub). Passou pelas redações do Correio Braziliense, Agência Brasil, Rádio Nacional e foi editor-adjunto da Tribuna do Brasil. Ocupou a assessoria especial no Ministério da Transparência e foi secretário-adjunto de Comunicação do GDF. Chefiou o relacionamento com a imprensa na Casa Civil, Vice-Governadoria, Secretaria de Habitação e na Secretaria de Turismo do DF. Fez consultoria para vários partidos, entidades sindicais e políticos da Câmara Legislativa e do Congresso Nacional. Assina a coluna Janela Indiscreta do Metrópoles e cobre os bastidores do poder em Brasília.

Últimas notícias