Maia defende incluir estados na Previdência ainda na comissão especial

Em seu segundo podcast, o presidente da Câmara avaliou ainda que, atualmente, o "grande dragão" do Brasil são os gastos públicos

Daniel Ferreira/MetrópolesDaniel Ferreira/Metrópoles

atualizado 01/07/2019 20:07

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), defendeu que seja feito um acordo para incluir estados e municípios na reforma da Previdência antes da votação na comissão especial, prevista para esta semana. De acordo com o deputado, as negociações ainda estão em curso e, nesta terça-feira (02/07/2019), ele irá se reunir novamente com os chefes dos estados para tentar costurar essa medida.

“Amanhã [terça-feira] o relator [Samuel Moreira (PSDB)] apresenta o último relatório para tentar ir a voto na quarta ou na quinta, que é nossa expectativa. Tem que dialogar. Precisamos que aqueles que estão desde o início defendendo a reforma estejam convencidos que o relatório do Samuel é o melhor para o sistema previdenciário brasileiro”, disse. “Se puder trazer o voto dos governadores ainda na comissão, será ótimo. Para isso, precisa fechar o acordo para o relator poder incluir os governadores”, pregou.

As declarações de Maia fazem parte do podcast semanal que o deputado produz e divulga em suas redes sociais. Chamado de “resenha com Rodrigo”, o programa tem aproximadamente 10 minutos, nos quais Maia responde a questionamentos de um entrevistador.

Uma dessas perguntas lembrou que, nesta semana, é comemorado o 25º aniversário do Plano Real – que acabou com a hiperinflação nos anos 90. Maia avaliou que, atualmente, o “grande dragão” do Brasil é o excesso de gastos públicos por parte de prefeitos, governadores e do próprio presidente. Para resolver o problema, ele defendeu uma reorganização dos gastos governamentais.

“Se não organizarmos a despesa pública, todo o resto fica inviabilizado”, afirmou. “O crescimento fora de controle das despesas dos municípios, dos estados, e da própria União ao longo dos últimos 20 anos gerou despesas obrigatórias para todos e está ficando cada vez mais difícil a sociedade pagar essa conta”, prosseguiu.

Relatório
Samuel Moreira fará a leitura do relatório final do texto da reforma da Previdência nesta terça-feira (02/07/2019). Depois, será realizada a votação do material apresentado entre os membros da comissão especial. Caso seja aprovado, o texto segue para ser votado no plenário da Câmara dos Deputados em dois turnos. Por se tratar de uma emenda à Constituição, é necessário que ao menos dois terços dos deputados votem a favor da medida, o que significa 308 votos.

Caso o texto receba o aval dos deputados, na sequência ele é encaminhado ao Senado. Da mesma forma, por se tratar de uma emenda, são necessários dois terços dos votos, o que totaliza 54.

Maia afirmou, no podcast, que o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), irá participar das reuniões com os governadores. “É importante que a articulação seja feita com as duas Casas. Com a Câmara e o Senado tentando organizar, trazer os votos”, disse.

 

Últimas notícias