Para Maia, vitória da reforma da Previdência é mérito do Parlamento

Deputado disse que, apesar de o governo ter ajudado recentemente, é preciso deixar claro que a construção foi feita pelo Legislativo

Hugo Barreto/MetrópolesHugo Barreto/Metrópoles

atualizado 08/07/2019 14:15

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), reafirmou a posição do Parlamento diante da reforma da Previdência, que, em sua avaliação, foi mais importante para o avanço do texto do que o trabalho de articulação do governo Bolsonaro. O deputado fluminense avaliou que, apesar de o Executivo ter auxiliado em alguns momentos, acabou atrapalhando em outros.

“A construção do texto foi uma construção parlamentar, e a construção da vitória, se ela acontecer, será uma construção do Parlamento, não será uma construção do governo”, explicou Maia nesta segunda-feira (08/07/2019), em podcast semanal divulgado em suas redes sociais.

“O governo ajuda, em alguns momentos atrapalhou, mas tem ajudado nas últimas semanas. Mas precisa ficar claro nesse processo, exatamente para que os deputados tenham o conforto para votar, que o resultado dessa semana será o resultado do esforço, do trabalho, da dedicação de cada deputado e de cada deputada”, acrescentou.

A Câmara, sob presidência do deputado fluminense, terá uma semana decisiva com o início da votação da reforma da Previdência no plenário. Aprovada na comissão especial na semana passada, a proposta de emenda à Constituição (PEC nº 06/2019) deve ir à votação decisiva nesta terça-feira (09/07/2019). “Temos que mobilizar um número enorme de parlamentares, deputados, deputadas, para um tema que é fundamental e decisivo”, explicou.

Durante o fim de semana, Maia se reuniu com líderes partidários e articuladores do governo, entre eles o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni. A partir desta segunda-feira (08/07/2019), o presidente da Câmara tem sessões no plenário da Casa para garantir que a matéria comece a ser apreciada no dia seguinte, já que é preciso um interstício de duas sessões do plenário.

“Precisamos de presença. O ideal é que a gente tenha mais de 490, para que a gente não tenha riscos no resultado dessa votação que é tão importante para o Brasil”, afirmou. Maia também demonstrou estar satisfeito com as mudanças feitas pelo relator da reforma, deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), como a retirada do Benefício de Prestação Continuada (BPC) e da aposentadoria rural.

“Esperamos que, no momento seguinte, já no segundo semestre, a gente já possa ver redução de juros, porque isso ativa a economia. Que a gente possa ver propostas para a retomada mais rápida da geração de emprego, que a gente possa ver propostas de aumento da competitividade e, principalmente, aumento da produtividade do setor privado brasileiro”, afirmou.

Últimas notícias