Bolsonaro: ministro-deputado vai deixar cargo para votar Previdência

Segundo o chefe da casa Civil, o presidente pediu que ministros deem mais força ao governo na hora da votação

Marcos Corrêa/PRMarcos Corrêa/PR

atualizado 08/07/2019 12:30

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) determinou que ministros que tenham mandato de deputados federais deixem o cargo no Executivo para ajudar na votação da reforma da Previdência, marcada para esta terça-feira (09/07/2019), no plenário da Câmara. A informação foi repassada pelo chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, ao blog da Andréia Sadi, do G1.

Dentre os 22 ministros do governo de Bolsonaro, apenas três se afastaram do Legislativo para assumir as pastas. Além do próprio Onyx, que se elegeu deputado federal pelo DEM, também deixarão os cargos os chefes do Desenvolvimento Social, Osmar Terra, da Agricultura, Tereza Cristina, e do Turismo, Marcelo Álvaro.

Ao blog, Onyx também comentou a sua expectativa que o plenário da Câmara vote o mesmo texto que foi definido pela comissão especial, na semana passada, sem sofrer alterações. A respeito da inclusão dos benefícios às categorias policiais, o ministro disse que as propostas serão analisadas, mas acredita que há pouco espaço para modificar o texto sem prejudicá-lo.

“A tendência hoje é esta, o que tinha espaço para ser modificado, perdeu o timing. Mas, Brasília, é aquela história: é como nuvem, quando você olha está de um jeito. Olha de novo, mudou”, afirmou, em entrevista.

Ainda sobre a Previdência, o ministro mostrou-se confiante quanto à aprovação do texto e disse que os parlamentares estão comprometidos com a votação da reforma. Neste domingo (07/07/2019), após reunião com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), Onyx afirmou que a contagem de votos está em 330 deputados favoráveis ao parecer. Já chefe da casa contou, na mesma ocasião, que espera cerca de 490 parlamentares de quórum no plenário.

Últimas notícias