Previdência: para Rodrigo Maia, texto aprovado na comissão é “nota 10”

O democrata também está confiante de que o texto passará no plenário da casa, mas entende que oposição pode dificultar o processo

Daniel Ferreira/MetrópolesDaniel Ferreira/Metrópoles

atualizado 06/07/2019 15:10

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse, neste sábado (06/07/2019), que o texto aprovado pela comissão especial da casa é “nota 10”, em relação a propostas de reforma da Previdência de governos anteriores. “Em relação ao que já tivemos desde o Fernando Henrique [ex-presidente do Brasil], essa aprovada na comissão — e que eu espero que seja mantida — é nota 10″, declarou.

O depoimento foi dado após reunião de quatro horas com líderes de partidos e com o ministro da Secretaria de Governo (Segov), general Ramos, na Residência Oficial da Câmara. Segundo Maia, a intenção do encontro foi estruturar a votação da sessão extra marcada para esta segunda-feira (08/07/2019), e o objetivo é finalizar o trâmite na Câmara nesta semana. “É uma matéria muito importante com quórum alto e muito difícil. Então, a gente tem que organizar processo de votação, começar a conversar com líderes para organizar o quórum, que precisa ser alto pra que a gente não tenha nenhum risco”, afirmou.

Maia preferiu não cravar um número esperado para a votação, mas disse ter sido procurado por parlamentares e que espera ter 490 deputados em plenário a fim de garantir aprovação. “Vou te falar que eu tenho sido surpreendido. Eu tenho sido procurado por deputados pedindo para votar logo a matéria. Esta semana que passou eu recebi um monte de deputado, eles vieram pedindo a votação da matéria. Então, se é um sentimento espontâneo, significa que há um ambiente no parlamento”, comentou. “O importante é ganhar, então, nós vamos ganhar com uma boa margem para uma matéria que, ate um ano atrás, era muito difícil você alcançar”, completou.

Além disso, o presidente espera a quebra de interstícios para aprovar rápida do texto, mas entende que a oposição pode dificultar o processo. “Os partidos de esquerda não vão acordar essa matéria, mas se os partidos que compõem a maioria, mais o partido do governo, tiverem compreensão que é importante a quebra de interstícios em frente o debate da votação, acho que claramente se tem voto para isso”, comentou.

Policiais x servidores 

A respeito da demanda dos policiais federais e dos servidores, que pedem por mais benefícios no texto, Maia disse que está conversando com as categorias e que pretende construir um regime justo para as classes “Estamos conversando. Recebi agora, também, alguns representares dos servidores públicos. Tenho conversado com alguns representantes da PF, sempre na linha de que o que nós construímos para os dois regimes não pode ser diferente para os policias”, sublinhou.

Articulação do executivo 

O presidente da Câmara proferiu elogios ao novo articulador do Executivo com o Legislativo, general Ramos, mas disse que não vai abrir mão da presença do chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, durante as discussões da reforma. “Sempre foi elogiado por muitos amigos. É bom somar esforços de todas as partes do governo, não que a gente vá abrir mão do ministro Onyx, de forma alguma. Ele tem sido um ótimo aliado um ótimo interlocutor. Independentemente de ter articulação politica com ele ou não, ele vai continuar nos ajudando”, finalizou.

 

Últimas notícias