Polícia Civil do DF leva IML e Delegacia da Mulher para Ceilândia

Procedimentos que antes só eram oferecidos no complexo da corporação, na Asa Sul, devem começar a funcionar em Ceilândia até janeiro

atualizado 22/10/2019 20:50

Hugo Barreto/Especial para o Metrópoles

Serviços especializados da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) que hoje estão concentrados no complexo da corporação ao lado do Parque da Cidade, no Plano Piloto, terão um núcleo avançado em Ceilândia.

A direção da PCDF iniciou os trabalhos para inaugurar, até janeiro, um novo complexo, com atendimentos oferecidos pelo Departamento de Polícia Técnica na 15ª Delegacia de Polícia (Ceilândia Centro). Uma segunda estrutura, destinada apenas às investigações de violência contra a mulher, também será aberta no mesmo endereço, a Deam 2.

Com a ampliação, atendimentos como exames de corpo de delito, autópsias, avaliações toxicológicas, análises de digitais, perícias criminais e liberação de laudos poderão ser feitos na unidade de Ceilândia, a depender da proximidade da ocorrência. O lugar terá ainda uma vala para as perícias realizadas em carros que apontam responsabilidade em acidentes de trânsito.

O Núcleo de Perícia Regional deve atender tanto casos oriundos da região administrativa de Ceilândia quanto ocorrências registradas em Brazlândia, Santa Maria, Gama e Taguatinga.

De acordo com o diretor-geral da PCDF, delegado Robson Cândido, a medida vai facilitar o acesso para a população e acelerar o trabalho de investigação.

“Quando uma pessoa é vítima de agressão em Ceilândia, por exemplo, os policiais da localidade entregam um memorando para que ela compareça ao IML [Instituto Médico Legal]. Esse longo deslocamento pode gerar, inclusive, a revitimização, e acaba atrasando todo o processo de investigação”, explica.

Entre os fatores que contribuíram para que Ceilândia fosse escolhida como sede do novo núcleo estão o volume de ocorrências que demandam os serviços e a proximidade com outras regiões administrativas, que são mais prejudicadas pela atual necessidade de locomoção. A abertura deste novo núcleo foi possível depois de recentes nomeações de peritos criminais, médicos-legistas e 36 papiloscopistas.

A expectativa é que uma média de 70 servidores passe a compor o posto avançado da Polícia Civil em Ceilândia.

Últimas notícias