DF vai ganhar mais uma unidade da Delegacia da Mulher

Ação do governo local faz parte do pacote de medidas de combate à violência contra a mulher na capital do país

Campus/ReproduçãoCampus/Reprodução

atualizado 07/10/2019 16:43

Em meio a recorde de feminicídios, o Distrito Federal vai ganhar a segunda unidade da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam), na região oeste. Além disso, o governo anuncia que implantará a Casa da Mulher Brasileira em Ceilândia e núcleos integrados de atendimento nas delegacias de polícia. Por fim, serão ampliados e fortalecidos os projetos de responsabilização e reeducação dos agressores.

O Executivo local também pretende dispor de um dispositivo de monitoramento eletrônico de proteção em caso de medidas protetivas de urgência, realizar campanhas de conscientização da população, reestruturar e ampliar os equipamentos de atendimento à mulher vítima de violência das Regiões Integradas de Segurança Pública, entre outros.

Nos últimos anos, o Brasil apresentou crescimento no número de ocorrências de estupro, homicídios contra as mulheres, feminicídios e violência doméstica. Em 2018, foram registrados aproximadamente 600 casos por dia no país. Desses, 6%, o que corresponde a 41 casos, ocorreram no Distrito Federal.

A secretária adjunta de Planejamento da Secretaria de Economia, Adriane Laurentino, ressalta ainda ações como a criação da plataforma interativa de dados relativos ao feminicídio, o serviço de monitoramento eletrônico pessoal portátil, com botão de acionamento emergencial, o aplicativo de celular para mulheres em situação de violência (Viva Flor) e o Programa de Prevenção Orientada à Violência (Provid). (Com informações da Agência Brasília)

Reprodução

Últimas notícias