DF se prepara para reabrir comércio no dia 3 de maio, diz Ibaneis

Governador Ibaneis disse que serão estabelecidos protocolos de segurança em decreto, como uso de termômetros e máscaras, para a reabertura

atualizado 16/04/2020 13:33

Michael Melo/Metrópoles

O governador Ibaneis Rocha (MDB) disse que o Distrito Federal está se preparando para reabrir o comércio no próximo dia 03/05. O titular do Palácio do Buriti informou à coluna, nesta quinta-feira (16/04), que a decisão será avaliada a partir do acompanhamento sistemático da curva de crescimento do novo coronavírus no território brasiliense.

Segundo Ibaneis, a cidade deve atingir o ápice da doença em breve.

Ibaneis explicou que vem se reunindo com representantes do setor empresarial e serão estabelecidas medidas rigorosas em decreto, como uso de termômetros, álcool em gel e máscaras, para o funcionamento das lojas. O governador entende que os empresários também são responsáveis pelo controle da doença quando os estabelecimentos forem reabertos.

“A abertura ou não do comércio não depende de mim. Depende dos empresários que precisam entender a importância de evitar contaminação nos estabelecimentos. Se houver crescimento fora da curva ou registro de casos entre consumidores e trabalhadores, vamos fechar de novo”, assegurou.

Ibaneis afirmou que o Distrito Federal está preparado para enfrentar o ápice da doença. De acordo com o governador, a capital do país tem hoje 18 pacientes infectados em unidades de Terapia Intensiva (UTIs). Mas a cidade dispõe de 400 leitos, além dos novos criados em hospitais de campanha que serão inaugurados em 15 dias.

“Brasília está preparada para começar a voltar à normalidade”, disse.

Nessa quarta-feira (15/04), o governador autorizou a reabertura das óticas no Distrito Federal.

atendimento ao público em todas as agências bancárias e cooperativas de crédito foi permitido no dia 7 de abril.

Está liberado também o funcionamento de clínicas e os consultórios médicos e odontológicos, clínicas veterinárias, supermercados, minimercados, mercearias, algumas áreas alimentícias de feiras (somente para levar), entre outros.

Últimas notícias