Rumo à Olimpíada: nadador Glauber Silva conta planos para 2020

O brasiliense busca um bom índice a fim de competir em Tóquio. Mas, infelizmente, o nadador não representará a bandeira verde-amarela

@glauberhsilva/Instagram@glauberhsilva/Instagram

atualizado 24/01/2020 12:44

Nome confirmado nos principais eventos esportivos de sua categoria, Glauber Silva se divide entre os tipos de nado crawl, borboleta, peito e de costas. Quem acompanha a rotina do atleta pelas redes sociais tem visto seus treinos intensos rumo a Tóquio 2020. 

Em ano de Olimpíadas, o brasiliense busca garantir um bom índice e competir no maior evento esportivo do mundo. Mas, infelizmente, o nadador não representará a bandeira verde-amarela nas piscinas. Com dupla cidadania, Glauber pretende ter vaga na delegação de Portugal, motivo para, recentemente, exibir inúmeras fotos e vídeos no Instagram pelo país europeu. 

Há quatro anos, o esportista tem contrato com o clube português de natação Foca. Ao notar o alto desempenho do profissional, a instituição o convidou para compor a equipe. “Escolhi competir por Portugal pela oportunidade e valorização que o país me deu como atleta e pessoa”, disse o atleta à coluna Claudia Meireles. 

@glauberhsilva/Instagram
O esportista escolheu competir por Portugal nas Olimpíadas de Tóquio

 

@glauberhsilva/Instagram
O nadador faz parte do clube português Foca

 

Com 33 anos, o brasiliense também tem como meta se despedir das piscinas este ano. Por isso, fará o que puder para fechar a carreira com chave de ouro, ou melhor, com medalha olímpica. Para alcançar a meta, a sessão de treinamentos do esportista inicia às 7h e termina às 20h. Ao todo, são quatro ciclos diários. 

Quero fechar minha carreira em grande estilo, se Deus quiser

Glauber Silva, nadador brasiliense

A jornada do nadador não se resume apenas às inúmeras braçadas nas águas. Para se manter em forma e subir ao pódio, Glauber faz exercícios funcionais a fim de melhorar sua performance dentro das piscinas, como levantamento de peso. Ele combina a rotina fitness com alimentação saudável e equilibrada. 

@glauberhsilva/Instagram
Depois das piscinas, o atleta segue para a academia. “A rotina de treinos está bem pesada”, frisa Glauber

 

@glauberhsilva/Instagram
A sessão de treinamentos do esportista inicia às 7h e termina às 20h

 

Ponte-aérea

Enquanto algumas personalidades ficam na ponte aérea Rio-São Paulo, Glauber faz o mesmo há quatro anos, porém, cruza o Oceano Atlântico. De tantas viagens, o nadador já se acostumou a fazer a rota Brasil-Portugal (vice-versa). Ele treina em Felgueiras, cidade-sede do clube. 

Fico cinco semanas no Brasil. Depois passarei três semanas em Barcelona e volto para o Brasil, onde passo mais duas semanas. Em seguida, meu próximo destino será Portugal. Lá, continuarei com treinamento, seletiva, competições e, se Deus quiser, até Tóquio em julho e agosto

Glauber Silva

O lugar que ganhou sua admiração foi Amarante, município distante 18 km do centro de treinamentos.

“Amarante me acolheu desde a primeira ida à cidade”, relembra o esportista. 

@glauberhsilva/Instagram
O brasiliense em passeio por Amarante, em Portugal

 

Apesar de receber todo o suporte necessário, Glauber não se sente totalmente completo em terras portuguesas. Sua primogênita, Manuela, de 8 anos, mora em solo brasileiro, no Rio de Janeiro. O atleta credita o esforço dentro e fora das piscinas à menina. “Sinto falta da minha garotinha. O coração fica apertado. Só que faço tudo isso e muito mais por ela”, destaca o brasiliense. 

Acompanhado por mais de 80 mil seguidores no Instagram, ele costuma postar fotos ao lado da filha. Geralmente, as publicações são sempre inundadas com comentários sobre a fisionomia de ambos. Não à toa, Glauber incorporou a tag #caradopai às legendas. Outra meta é vivenciar mais momentos lindos na presença de Manuela.

@glauberhsilva/Instagram
Manuela se parece ou não com o nadador?

 

@glauberhsilva/Instagram
Glauber e Manuela, de 8 anos

 

Para saber mais, siga o perfil da coluna no Instagram.

SOBRE O AUTOR
Marina Ferreira

Formou-se em jornalismo pelo Centro Universitário Iesb em 2018. Três anos antes, graduou-se no curso de publicidade pela Universidade Católica de Brasília (UCB). Atualmente, trabalha como repórter das colunas Partiu e Claudia Meireles, ambas do Metrópoles. Atuou como estagiária de fotografia na Procuradoria-Geral da República (PGR) e de assessoria de imprensa na Anvisa e no Ministério da Fazenda. Fez parte da equipe de reportagem da redação da Rádio Senado e do GPS|Lifetime. É vencedora do prêmio Intercom Nacional com a revista-laboratório Jenipapo, da UCB.

Últimas notícias