*
 

A segunda noite de desfiles das escolas de samba de São Paulo teve como destaques as apresentações da Vai-Vai, Mocidade Alegre e Império de Casa Verde. X-9 Paulistana, Gaviões da Fiel, Dragões da Real e Unidos de Vila Maria também desfilaram pelo Sambódromo do Anhembi.

A noite teve início com o desfile da X-9 Paulista, de volta ao Grupo Especial, que apresentou um enredo sobre ditos populares e provérbios. Em uma crítica política, a escola exibiu o carro A Casa da Mãe Joana. Nele, juízes e políticos portavam malas de dinheiro e dólares na cueca.

A crítica social também esteve presente no desfile do Império de Casa Verde. A escola apresentou o enredo “O Povo: A Nobreza Real”. A agremiação utilizou a Revolução Francesa em uma comparação com a situação atual do Brasil. A rainha de bateria Lívia Andrade pisou na avenida vestida de Maria Antonieta.

A Mocidade Alegre homenageou a cantora Alcione em seu desfile, com o enredo “A voz marrom que não deixa o samba morrer”. A Marrom participou da apresentação e vibrou com um samba-enredo com referências a sucessos como “Juízo final”, “O que eu faço amanhã”, “À flor da pele” e “Delírios de amor”.

Outro artista homenageado na noite foi o cantor Gilberto Gil, tema do desfile da Vai-Vai. A bateria ousou e misturou os ritmos do samba e do afoxé, em uma homenagem ao artista expoente do movimento da Tropicália. Gil participou da festa com a mulher Flora e o filho Bem, e comandou com um apito os integrantes da agremiação.

A Gaviões da Fiel escolheu a cidade de Guarulhos, segunda maior do estado de São Paulo, como tema para a noite. A escola apresentou uma fábula protagonizada pelos índios Guarus, primeiros habitantes da região. A rainha de bateria Sabrina Sato brilhou com uma fantasia de espinha de peixe.

A Dragões da Real fez uma homenagem à música sertaneja. Com a presença de cantores como Roberta Miranda e Sérgio Reis, a agremiação entoou um samba-enredo cheio de referências a sucessos caipiras, como “Sou caipira pirapora”, “Fio de cabelo” e “Ainda ontem chorei de saudade”.

Última a desfilar, a Unidos da Vila Maria fechou a noite com um tributo à cultura mexicana. A escola apresentou várias alas com personagens do ator Roberto Bolaños, como Chaves e Chapolin. A Vila Maria também trouxe outras importantes referências do país, como a pintora Frida Kahlo e os mariachis.