Wasseff diz que Bolsonaro não tinha conhecimento do paradeiro de Queiroz

Fabrício Queiroz, ex-assessor do senador Flavio Bolsonaro, foi preso na quinta (18/06) em uma casa do advogado Frederick Wassef

Advogado pessoal do presidente Bolsonaro, Frederick WassefIgo Estrela/ Metrópoles

atualizado 20/06/2020 22:13

O advogado Frederick Wasseff está se negando a explicar a razão da presença do PM reformado Fabrício Queiroz em um imóvel seu em Atibaia (SP), onde houve a prisão do ex-assessor de Flávio Bolsonaro (Republicanos) na última quinta-feira (18/06). Em entrevistas neste sábado, no entanto, Wasseff livrou o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e o senador Flávio de “qualquer responsabilidade” no episódio, que prometeu explicar num futuro próximo.

O mistério, segundo disse Wassef ao Jornal Nacional, da Rede Globo, é necessário para não atrapalhar a defesa do filho do presidente no processo em que ele é acusado de usar Queiroz para organizar um esquema de desvio de dinheiro público, as rachadinhas, quando era deputado estadual no Rio de Janeiro.

“Daqui a poucos dias eu vou poder contar. Não posso me antecipar na TV sobre estratégias”, disse ele.

Sem detalhes, Wassef negou que estivesse escondendo Queiroz, a quem garante nem conhecer. “Ele não estava escondido, até porque não estava fugindo”, disse o advogado, que também negou a informação de que Queiroz estivesse morando no imóvel há mais de um ano, como sustentam os investigadores.

“Nenhuma responsabilidade”

“Vocês têm uma localização dele num dia. O que aconteceu e eu vou poder explicar o todo”, prometeu.

Wassef disse mais de uma vez que “o presidente não tem nenhuma responsabilidade, como Flavio não sabia e não tem nenhuma responsabilidade também”. “Jamais o presidente Bolsonaro teve ciência de qualquer coisa relacionada ao Queiroz”, garantiu na entrevista.

Mais cedo em outra entrevista, dessa vez para a CNN Brasil, o advogado reclamou de estar sendo alvo de uma série de críticas e relacionou isso a sua proximidade com o presidente Jair Bolsonaro. “Se bater no Fred, atinge o presidente. Eu e o presidente viramos uma pessoa só”, disse ele.

0

 

O advogado também falou com a Folha de S.Paulo. Afirmou que Queiroz, em tratamento contra um câncer, foi submetido a duas cirurgias na Santa Casa de Bragança Paulista (SP). “Não é verdade que tenha passado um ano no meu escritório. Não escondi ninguém”, garantiu.

Queiroz foi preso na manhã de quinta-feira (18/06), em Atibaia (SP). Ex-assessor do então deputado estadual Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), hoje senador da República, Fabrício Queiroz é investigado por suposto esquema de “rachadinha”, após relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) identificar uma movimentação suspeita de R$ 1,2 milhão na conta dele.

Últimas notícias