Polícia arrombou portão da casa de advogado para prender Fabrício Queiroz

De acordo com o delegado, policiais tocaram a campainha, mas ninguém atendeu. Queiroz não teria apresentado resistência durante a prisão

atualizado 18/06/2020 10:12

A casa do advogado Frederick Wasseff, em Atibaia (SP), onde o ex-policial Fabrício Queiroz foi preso nesta quinta-feira (18/06), estava sendo monitorada há 10 dias pelos investigadores.

De acordo com informações repassadas à TV Globo pelo delegado da Polícia Civil de São Paulo, responsável pelo caso, os agentes chegaram a arrombar o portão da residência para efetuar a prisão.

Queiroz não teria apresentado resistência, mas ressaltou aos policiais que estava doente. Os agentes apreenderam ainda dois celulares, documentos e “uma quantia pequena de dinheiro”.

Frederick Wasseff é advogado do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), que empregou Queiroz por cerca de 10 anos na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj).

Queiroz estaria há cerca de um ano na casa do advogado da família Bolsonaro. Agora, o policial militar aposentado será transferido para Jacarepaguá (RJ).

Entenda

Queiroz é suspeito de participar de um esquema de “rachadinha” no então gabinete de Flávio Bolsonaro na Alerj. Segundo relatórios do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), o policial militar aposentado movimentou R$ 1,2 milhão de forma “atípica”.

As investigações do caso começaram em 2018 no Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ), após a divulgação dos dados pelo Coaf. Em uma delas, o órgão de controle encontrou um cheque de R$ 24 mil que teria sido depositado na conta da primeira-dama, Michelle Bolsonaro.

0

Últimas notícias