Terceiro homem identificado em assédio na Copa já foi preso pela PF

O engenheiro civil Luciano Gil Mendes Coelho é réu em ação do MPPI e foi preso na Operação Paradise, da Polícia Federal

atualizado 19/06/2018 17:57

Reprodução

Um terceiro homem foi identificado no vídeo em que brasileiros assediam uma estrangeira na Rússia: o engenheiro civil Luciano Gil Mendes Coelho, que aparece de camisa preta, à direita da imagem. Ele estaria envolvido em esquemas de desvio de dinheiro público na cidade de Araripina (PE), e foi preso na Operação Paradise, da Polícia Federal, em maio de 2015.

Coelho trabalha na empresa LG Jaicós Engenharia LTDA e é réu em ação de improbidade administrativa ajuizada pelo Ministério Público do Piauí (MPPI). O engenheiro teria superfaturado a obra de quatro quiosques na cidade de Simões (PI), tendo vencido o certame de licitações com uma oferta de R$ 96.141,83. No texto da ação, o MPPI questiona:

“Sem dúvida, ao licitar a construção de quatro pequenos quiosques, com orçamento de quase cem mil reais (aproximadamente vinte e cinco mil reais para cada unidade), com gritantes majorações nos quantitativos e preços dos insumos, levando a cabo obra superfaturada em quase cinquenta e seis mil reais, em evidente agremiação criminosa com a LG Jaicós Engenharia LTDA.”

O processo está suspenso desde dezembro de 2017.

Outros dois assediadores foram identificados desde a publicação do vídeo: Diego Valença Jatobá e Eduardo Nunes. O primeiro é ex-secretário de Turismo do município de Ipojuca (PE) e foi julgado pelo Tribunal de Contas do estado por irregularidades em contratações em licitações. Nunes, por sua vez, é policial militar em Santa Catarina e vai passar por processo administrativo-disciplinar assim que voltar de viagem.

Últimas notícias