Suspeito em desaparecimento no Amazonas teria ameaçado indigenista

Pescador teria ironizado o fato de Bruno Pereira andar armado em razão de ameaças que vinha sofrendo: "Quero saber se ele atira bem"

atualizado 08/06/2022 14:16

Indigenista Bruno Araújo Pereira Funai/Divulgação

Detido nessa terça-feira (7/6), o pescador suspeito de envolvimento no desaparecimento do indigenista Bruno Pereira e do jornalista Dom Philips já teria ameaçado o funcionário licenciado da Funai em outra ocasião.

Segundo o jornal O Globo, o homem, conhecido como Pelado, teria ironizado o fato de Bruno andar armado em razão de ameaças que vinha sofrendo por garimpeiros, pescadores e madeireiros.

“Quero saber se ele atira bem”, teria dito o pescador. Bruno liderava operações de combate a invasões de territórios indígenas na região do Vale do Javari.

Em entrevista à reportagem, o procurador da União dos Indígenas do Vale do Javari (Univaja), Eliesio Morubo, informou que um grupo de 15 a 29 pessoas presenciou a ameaça e relatou o caso aos policiais. O fato tornou Pelado um dos suspeitos. De acordo com o Globo, ele seria uma espécie de líder dos pescadores ilegais da região. O grupo ainda deve prestar depoimento à polícia.

arte colorida de mapa Vale do Javari
A região em que ocorreu o desaparecimento é de difícil acesso e faz fronteira com o Peru

Desaparecimento

Segundo a Univaja, o jornalista e o indigenista se deslocaram com o objetivo de visitar a equipe de vigilância indígena que atua próxima ao Lago do Jaburu. O jornalista pretendia realizar algumas entrevistas com os habitantes daquela região.

Os relatos apontam que os dois sumiram quando faziam o trajeto da comunidade Ribeirinha São Rafael até a cidade de Atalaia do Norte. O desaparecimento ocorreu no domingo (5/6).

A Polícia Militar deteve “Pelado” na terça-feira (7/6).  Ele foi levado para interrogatório na delegacia de Atalaia do Norte.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), foi instaurado um inquérito policial. O delegado da 50ª DIP, Alex Perez, informou que até a noite desta terça foram ouvidas cinco pessoas: quatro na condição de testemunhas e “Pelado” como suspeito.

Mais lidas
Últimas notícias