Senador Contarato denuncia ataque a ele e ao filho em praia do ES

Em nota, o senador pela Rede Sustentabilidade lamentou o ocorrido: "Ira do bolsonarismo contra meu pequeno Gabriel"

atualizado 16/11/2021 9:15

Senador Fabiano ContaratoGuia Gay Brasília/ Reprodução

O senador Fabiano Contarato (Rede-ES) foi alvo de ataques nas redes sociais nesta segunda-feira (15/11). Após cumprir missão oficial na COP26 e voltar ao Brasil, o parlamentar decidiu ir à praia com o filho Gabriel, de 7 anos, no Espírito Santo. Contarato atendeu ao pedido do pequeno: “Papai, me leva na praia pra fazer castelinho de areia”. Mas, logo em seguida, ao chegar em casa, sofreu ofensas nas redes sociais.

Um homem, que se identifica na internet como Giovani Loureiro, corretor de imóveis, chamou o senador de “infeliz”, “lixo” e ainda ofendeu a criança, dizendo que o pai a estaria o “filho adotivo” à praia para “fazer marketing”.

Em setembro, o senador Fabiano Contarato desabafou na CPI da Covid-19 ao dizer que “orientação sexual não define caráter”. O parlamentar expôs ataque homofóbico que sofreu nas redes sociais por Otávio Oscar Fakhoury, que depôs ao colegiado na ocasião.

Emocionado, Contarato reagiu à publicação de Fakhoury, que dizia: “O delegado homossexual assumido talvez estivesse pensando no perfume de alguma pessoa ali daquele plenário. Quem seria o perfumado que o cativou?”. Isso porque Contarato fez uma publicação em que troca “flagrancial” por “fragancial”.

O parlamentar pediu à Polícia Legislativa para apurar suposto crime de homofobia.

Veja os ataques a Contarato e seu filho

Ataque contra Contarato nas redes sociais

O senador reagiu ao post com indignação. Ele atribuiu os ataques a atos “bolsonaristas”. “Já fui vítima de inúmeros radicais bolsonaristas, que se sentem autorizados a assediar aqueles que rejeitam suas teses políticas anti-civilizatórias. Ainda que ninguém tenha direito de constranger alguém por divergências políticas, sempre entendi se tratar de um preço a ser pago por ter optado pela vida pública”, disse, por meio de nota.

Contarato contou ter ido à Praia de Itapuã por volta das 11h30. Afirmou que tudo correu bem no passeio com pequeno. Mas, ao chegar em casa, viu a postagem que descreveu como: “Preconceituosa que destilava a inadmissível ira do bolsonarismo contra meu pequeno Gabriel”.

O senador afirmou que nenhum dos xingamentos foi tão doloroso quanto ver seu filho exposto. “Nada foi tão doloroso, porém, quanto ver seu ultraje gratuito contra o Gabriel, uma criança inocente de 7 anos, que teve sua imagem exposta nas redes e foi menoscabado apenas por ser meu filho e, sobretudo, por ser fruto de uma adoção. O ódio é uma doença perversa: desumaniza suas vítimas e as submete a toda sorte de violência”, lamentou.

Polícia Federal

Após o ataque, o senador advertiu que não vai tolerar qualquer ato de agressão aos filhos ou à família. “Não me intimidarão com esses ataques desprezíveis: registrei um boletim de ocorrência na Polícia Federal, neste fim de tarde, e providenciarei a responsabilização do autor desta agressão”, disse.

Contarato ainda completou: “Espero que, caso o sr. Giovani Loureiro seja pai, possa refletir sobre a sua infâmia e não repita essa vileza contra crianças inocentes, que não podem ser detratadas por querelas da política partidária: os interesses de menores indefesos devem ser colocados acima de tudo isso”.

Mais lidas
Últimas notícias