“Presidente Bolsonaro é um grande apoiador da vacinação”, diz Queiroga

Bolsonaro, que constantemente se posiciona contra as vacinas, disse que Anvisa teria “segundas intenções” com a liberação da vacina infantil

atualizado 13/01/2022 17:57

Presidente Jair Bolsonaro e o ministro Marcelo Queiroga durante evento de Assinatura do contrato de transferência de tecnologia da AstraZeneca para a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) em BrasíliaIgo Estrela/Metrópoles

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse nesta quinta-feira (13/1) que o presidente Jair Bolsonaro (PL) apoia a vacinação contra a Covid-19. Em compromisso na capital paulista, o ministro foi questionado pelo Metrópoles sobre declarações do mandatário de que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) teria “segundas intenções” com a liberação da vacina infantil.

“O presidente Bolsonaro é um grande apoiador da vacinação”, respondeu Queiroga.

Na última segunda-feira (10/1), Bolsonaro voltou a levantar suspeitas sobre a agência sanitária e reclamou de nota do presidente Antônio Barra Torres. “Repito: o quê que tá por trás, quais as segundas intenções, quais outras intenções da Anvisa? Não houve da minha parte nenhuma acusação, a palavra ‘corrupção’ não saiu em nenhum momento. E ele resolveu fazer uma nota bastante agressiva”, pontuou o presidente.

O presidente da Anvisa cobrou um pedido de retratação de Bolsonaro ou a investigação caso haja indícios de corrupção.

Ômicron

Na quarta-feira (12/1) Bolsonaro afirmou que a variante Ômicron “não tem matado ninguém” e que ela é “bem-vinda” no Brasil.

O comentário foi rebatido horas depois pelo diretor de emergências da Organização Mundial da Saúde (OMS), Michael Ryan, durante a conferência semanal da entidade sobre a Covid-19.

“Nenhum vírus que mata pessoas é bem-vindo, especialmente quando há indivíduos sofrendo”, afirmou Ryan ao responder sobre a fala do chefe do Executivo brasileiro.

Primeiro lote de vacinas para crianças

Queiroga foi a São Paulo nesta quinta para receber o primeiro lote do imunizante Pfizer para crianças de 5 a 11 anos. O avião com 1,248 milhão de doses pousou no Aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP). Depois, as vacinas foram enviadas ao Aeroporto de Guarulhos (SP), onde a equipe do Ministério da Saúde recebeu os imunizantes.

Antes de embarcar para São Paulo, Queiroga publicou um vídeo nas redes sociais afirmando que não faltará vacina para o público infantil. O ministro frisou que a vacinação não será obrigatória e que “os pais que desejarem” vacinar os filhos terão imunizantes disponíveis.

0

Mais lidas
Últimas notícias