Rio autoriza eventos-teste sem uso de máscaras e distanciamento social

Eventos acontecerão no Alto da Boa Vista, no Centro e em Copacabana. Apresentação do passaporte da vacina e de teste negativo é obrigatória

atualizado 23/09/2021 16:15

Festa clandestina encerrada em casa de swing na Barra da Tijuca, zona oeste do RioDivulgação / Seop

A Prefeitura do Rio de Janeiro anunciou, nesta quinta-feira (23/9), a realização de três eventos-teste na cidade sem a obrigatoriedade de uso de máscaras e distanciamento social, medidas de proteção contra a Covid-19. Os experimentos serão realizados no Alto da Boa Vista, zona norte; no Centro do Rio; e em Copacabana, zona sul. O limite de público dos dois primeiros é de até 5 mil pessoas, e do terceiro, 500 indivíduos. Todos devem estar imunizados contra a doença, mediante apresentação do “passaporte da vacina”.

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) informou que as medidas preventivas serão dispensadas porque “os eventos apresentaram protocolo sanitário prevendo testagem e comprovação vacinal de todos os presentes”.

0

Um deles é a Lucce Party, organizada pelo DJ de eletrônica Pedro Lucena, que comemorará o aniversário na festa. O show acontecerá no dia 2/10 na Estrada de Furnas, no Alto da Boa Vista. No perfil do Instagram, a organização ressalta que os frequentadores devem apresentar teste negativo contra o novo coronavírus, realizado até 48 horas antes da festa. “Ao comprar [o ingresso da] Lucce Party, você receberá o link para agendar seu exame antígeno gratuito no DOT Saúde no dia 29 de setembro”, comunicou.

A realização de testes também será obrigatória para ingresso nos eventos do Centro e de Copacabana. Na cidade do Rio, o “passaporte da vacina” é exigido desde 15/9 em locais coletivos, como restaurantes, cinemas, teatros, academias, estádios, museus, galerias, conferências, pontos turísticos, entre outros. O documento atesta se o indivíduo tomou uma ou duas doses da vacina e deve ser gerado na plataforma ConecteSUS.

Vacinação

A cidade do Rio segue com a vacinação de adolescentes, motivo de recente impasse entre o Ministério da Saúde e os estados. Nesta quinta-feira (23/9), puderam ir aos postos meninas de 13 anos e adolescentes de 14 anos ou mais para a repescagem, além de idosos de 86 anos ou mais para a dose de reforço. O ex-vice-governador Francisco Dornelles, da chapa de Luiz Fernando Pezão, recebeu o imunizante no Planetário da Gávea, na zona sul do Rio.

Na quarta-feira (22/9), a Secretaria Municipal de Saúde anunciou que idosos com 60 anos ou mais que tenham tomado a vacina até 28/2 deste ano podem tomar a terceira dose em quaisquer dias e horários. A medida foi tomada por recomendação do Comitê Especial de Enfrentamento à Covid-19 da cidade.


O secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, informou que o Rio tem a menor ocupação de leitos desde o início da pandemia, efeito da imunização da população. De acordo com o Painel Rio Covid, há 504 internados com a doença e a fila por uma vaga está zerada. Ao todo, 66% dos cariocas acima de 18 anos estão com o esquema vacinal completo.

Mais lidas
Últimas notícias