Ricardo Salles admite que incêndio no Pantanal tomou “proporção gigantesca”

Estima-se que entre 10% e 15% da área do Pantanal já tenha sido devastada pelo incêndio. Satélites captaram 1.344 focos de calor em MS

atualizado 15/09/2020 16:56

Andre Borges/Esp. Metrópoles

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, afirmou que o incêndio que está devastando o Pantanal tomou uma “proporção gigantesca”. A declaração foi dada nesta terça-feira (15/9) durante entrevista à Rádio Bandeirantes.

“De fato, o prejuízo à nossa fauna é grande. A flora e a parte de vegetação se recompõem. Agora não pode ser um fogo da proporção gigantesca que está sendo, então por isso que estamos combatendo fortemente”, completou Salles.

De acordo com dados apresentados pelo governo de Mato Grosso do Sul, satélites so Instituto de Pesquisas Espaciais (Inpe) captaram 1.344 focos de calor no estado, sendo Corumbá, Alcinópolis e Pedro Gomes as cidades mais atingidas pelos incêndios.

Na ocasião, o ministro alertou: “Nós precisamos ter essa visão que certas técnicas conhecidas de maneiras centenárias, que é o uso de fogo controlado, a queima controlada, servem para limpar o pasto e, quando não faz iss,o quando vem um incêndio com todo o material depositado em solo o incêndio, se torna de muito maior a proporção para além da questão climática”.

Salles disse ainda que a resistência ao bloqueador químico de fogo dificulta o combate às chamas. “No Brasil, há uma resistência enorme dos órgãos ambientais em autorizar [o bloqueador], o que acaba tornando o combate ao incêndio menos eficaz”, afirmou.

Até o momento, estima-se que entre 10% e 15% da área do Pantanal já tenha sido devastada pelo incêndio.

0

Últimas notícias