Reprodução simulada do caso Ray tem um morto e um ferido no Rio

Menino de 14 anos foi morto em fevereiro no Morro do Campinho, na zona oeste. Família o encontrou sem vida em hospital

atualizado 22/06/2021 19:17

Ray Pinto Faria, de 14 anos, morto supostamente em uma ação policialReprodução

Rio de Janeiro – Uma pessoa morreu e outra ficou ferida em um confronto durante a reprodução simulada da morte de Ray Pinto Faria, de 14 anos, nesta terça-feira (22/6). A Polícia Civil não deu detalhes sobre as circunstâncias do tiroteio.

O menino foi morto em 22 de fevereiro deste ano no Morro do Fubá, em Campinho, na zona oeste do Rio, e encontrado sem vida pela família no Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, na zona norte da cidade.

Ao RJTV, da TV Globo, um representante da OAB-RJ declarou que um policial militar participou da reconstituição, que durou das 8h ao meio-dia. O laudo pericial deve ficar pronto em 30 dias.

Os familiares de Ray acusam policiais militares de abordar e levar o menino enquanto ele brincava com o celular na porta de casa. Testemunhas contaram à família que viram o jovem em uma localidade deserta na companhia de policiais.

Após não localizarem Ray na comunidade, os parentes começaram a procurar em hospitais próximos. A família nega que o adolescente tivesse qualquer envolvimento com o crime.

No dia do crime, a PM realizava uma operação em oito comunidades da zona norte carioca para coibir práticas criminosas: Morro do Fubá, Caixa D’ Água, Camarista Méier, Campinho, Lemos Brito, Morro do Dezoito, Morro do Urubu e Saçu. No total, foram apreendidos 410 tabletes de maconha; dois fuzis; três pistolas; duas granadas; um rádio comunicador; e entorpecentes.