Queiroga aplica vacina em Paquetá e ouve reclamação: “Soa muito falso”

Moradora de ilha no Rio comemorou dose da AstraZeneca, mas lamentou que ministro da Saúde tenha sido o responsável pela aplicação

atualizado 21/06/2021 16:33

Marcelo Queiroga vacina moradores de PaquetáMinistério da Saúde/Divulgação

Rio de Janeiro – A paciente escolhida como a primeira a ser vacinada no projeto de imunização da ilha de Paquetá (RJ), realizada neste domingo (20/6), expressou sua alegria pelo privilégio. Ao mesmo tempo, lamentou que a dose de AstraZeneca tenha sido aplicada pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga.

“A vacina é verdadeira, mas a mão que me aplicou não é. Essa sensação foi muito forte para mim: de estar recebendo uma vacina pela mão de um representante do governo que não fala bem da vacina, que não defende o uso da máscara, que não defende o distanciamento social. Soa muito falso”, disse a escritora Conceição Campos, segundo o G1.

O projeto PaqueTá Vacinada é uma parceria entre a Prefeitura do Rio de Janeiro e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), que contou com a presença de Queiroga neste domingo de imunização.

O objetivo é mensurar o impacto da campanha de imunização ao longo de um estudo. A ação teve adesão de 70% da população local.

Ela acrescentou ainda que seu descontentamento foi manifestado no momento: “Ele perguntou: ‘Você está feliz?’ Eu dei um passo para trás e respondi: ‘Estou feliz pela vacina, mas não queria ter sido vacinada por você. Preferia ter sido vacinada por ela’ — e apontei para a Dra. Margareth Dalcomo, que estava ali junto e vacinou a outra moradora”.

No evento, o ministro voltou a prometer a imunização de toda a população acima dos 18 anos até o fim do ano. “O programa nacional de imunização brasileiro é um dos mais respeitados do mundo. Temos a capacidade de vacinar 2,4 milhões de brasileiros por dia”, disse Queiroga.

Últimas notícias