Prefeitura de SP começa a vacinar morador de rua acima de 60 anos na sexta

Pedido foi feito pelo Ministério Público e pela Defensoria Pública, segundo Covas. Cidade começou imunização de idosos acima de 85 anos

atualizado 11/02/2021 10:55

Início da vacinação de idosos acima de 85 anos contra o coronavírus no Estádio do Pacaembu na Praça Charles Miller, zona oeste de São Paulo, na manhã desta quinta-feira (11)Fábio Vieira/Metrópoles

São Paulo – O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, disse nesta quinta-feira (11/2), que pessoas em situação de rua acima de 60 anos começarão a receber a vacina contra a Covid-19 a partir de sexta-feira (12/2). Segundo o tucano, serão imunizados tanto os moradores de abrigos municipais como os que vivem nas ruas.

“A partir de amanhã, vamos começar a vacinação de 2.200 pessoas em situação de rua acima de 60 anos. Foi uma solicitação feita pelo Ministério Público e pela Defensoria Pública, que a prefeitura vai atender através da rede que faz visitação aos moradores de rua. Cada dia importa nessa questão da vacina”, afirmou Covas.

O prefeito participou na manhã desta quinta, no estádio do Pacaembu, do início da vacinação de idosos acima de  85 anos no sistema drive-thru, que foi marcado por filas de carros. A partir de sexta, as 468 UBSs da cidade também começam a imunizar as pessoas nesta faixa etária.

O governo de São Paulo anunciou o início da vacinação de pessoas acima de 85 para sexta, mas a prefeitura da capital paulista decidiu antecipar a imunização desta faixa etária. “São 86 mil idosos entre 85 e 89 anos na cidade de São Paulo. Com a disponibilização das vacinas, já foi possível antecipar para hoje essa vacinação nos nossos cinco drives-thrus”, afirmou Covas.

Segundo o prefeito, 34 mil pessoas com mais de 90 anos já foram vacinadas na capital paulista, número superior à população nessa faixa etária na cidade, que é de 33 mil pessoas. “Muito provavelmente é gente de fora da cidade de São Paulo que vem ser vacinada aqui”, afirmou.

Covas ressaltou que não há risco de faltar vacina mesmo com o atendimento de pessoas que não moram em São Paulo.

“Aqui no SUS as portas estão abertas. A gente não nega atendimento a ninguém. As pessoas que estão procurando estão sendo vacinadas. É normal. O pessoal acima de 90 anos não precisa ficar preocupado. Nós temos vacina para atender a população”, disse.

0

Últimas notícias