Porteirão, cidade que lidera infecção por Covid-19, aumenta restrições

Prefeitura edita decreto que prevê toque de recolher, lei seca e multa de R$ 150 para quem não usar máscara; 40% da população já teve Covid

atualizado 08/06/2021 12:04

Porteirão, em Goiás, é a cidade brasileira com o maior percentual de casos da covid-19 na população Vinícius Schmidt/Metrópoles

Goiânia – A prefeitura de Porteirão, cidade que fica no Sul de Goiás e que, conforme publicado com exclusividade pelo Metrópoles no sábado (5/6), possui a maior taxa de infecção por Covid-19 do Brasil, editou decreto com novas restrições, visando conter o avanço da pandemia entre os moradores.

O levantamento sobre as altas taxas foi realizado pelo (M)Dados, núcleo de análise de grande volume de informações do Metrópoles, com base nos números coletados na plataforma colaborativa Brasil.io e também nos dados fornecidos pela Prefeitura Municipal de Porteirão.

As novas regras para conter a pandemia passam a valer a partir desta desta terça-feira (8/6). A cidade já registrou, de acordo com o último boletim divulgado, 1.568 casos de Covid-19, desde o início da pandemia. Esse total representa 39,8% da população local, que foi estimada em 2020 em 3.931 pessoas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O novo decreto, entre outras regras, prevê toque de recolher e lei seca em determinados horários. Está proibido o consumo e venda de bebida alcóolica, de segunda a sábado, entre 19h e 6h, e aos domingos, das 6h até às 12h. Isso vale para bares, restaurantes, distribuidoras, mercados e lanchonetes, inclusive na modalidade delivery.

Esses estabelecimentos também deverão seguir horário limite de funcionamento. Distribuidoras da bebidas e restaurantes que servem refeições no local só poderão funcionar até às 19h. Supermercados, mercearias e afins seguirão o mesmo horário, de segunda a sábado, e aos domingos, o limite permitido de funcionamento será até às 12h.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
Publicidade do parceiro Metrópoles 3
Publicidade do parceiro Metrópoles 4
0
Eventos

O texto do decreto discorre, ainda, sobre eventos sociais. Está proibida a realização de eventos em locais públicos, salões de festas, boates e casas de piscinas. Batizados, casamentos e aniversários em imóveis pessoais estão permitidos, com capacidade reduzida e com adoção de todas as medidas sanitárias.

Está proibida, também, a realização de shows e quaisquer tipos de dança em casal, com o intuito de respeitar o distanciamento social. Na orla do lago da cidade e na praça central, está permitida a circulação de pessoas somente até às 19h. Já a realização de atividades religiosas está permitida, com 50% da capacidade.

O prefeito João Henrique Silva (PSB) proíbe, ainda, a instalação de circos e parques de diversão, assim como a prática de exercícios físicos em academias, ao ar livre, em ginásios, campos de futebol e quadras poliesportivas, exceto caminhada ou corrida.

Publicidade do parceiro Metrópoles 1
Publicidade do parceiro Metrópoles 2
Publicidade do parceiro Metrópoles 3
Publicidade do parceiro Metrópoles 4
Publicidade do parceiro Metrópoles 5
0
Máscara é obrigatório
A reportagem do Metrópoles visitou a cidade no dia 31/5 e observou que muitas pessoas nas ruas deixam de usar máscara ou se proteger adequadamente contra a Covid-19. Neste novo decreto, a prefeitura torna obrigatório o uso de máscara nas ruas e avenidas da cidade, e também nos comércios, empresas e qualquer lugar que tenha circulação de pessoas.

O descumprimento prevê aplicação de multa imediata. O cidadão que for flagrado infringindo a regra será multado em R$ 150. Em caso de comerciante sem máscara ou permitindo pessoas sem o uso de proteção no interior do estabelecimento, a multa será de R$ 300.

Fiscalização

A fiscalização será feita por agentes da Vigilância Sanitária e também pela Polícia Militar. A prefeitura promete intensificar a presença dos fiscais, apesar das dificuldades já enfrentadas e relatadas pelo secretário de Saúde, Wisley Fernandes Soares, ao Metrópoles.

Ele conta que, devido a resistência de parte da população local, os fiscais contratados eram mal recebidos, durante abordagens de conscientização, e até alvos de xingamento. Muitos pediram para serem realocados ou desistiram da função.

Porteirão já perdeu 22 pessoas da comunidade para a Covid-19. Nesta segunda-feira (7/6), foram confirmados seis novos casos da doença na cidade e havia 32 pessoas contaminadas, ou em isolamento domiciliar ou em observação hospitalar.

Mais lidas
Últimas notícias