TST: presidente da OAB homenageia mulheres; Bolsonaro não aplaude

Declaração de Felipe Santa Cruz foi dada um dia depois de o presidente da República ofender jornalista com insinuação de cunho sexual

atualizado 20/02/2020 14:22

Daneil Ferreira/Metrópoles

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Felipe Santa Cruz, alfinetou nesta quarta-feira (19/02/2020) o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), durante a posse da ministra Cristina Peduzzi como a primeira mulher a presidir o Tribunal Superior do Trabalho (TST) em 72 anos.

Durante discurso, Santa Cruz mencionou mulheres trabalhadoras, entre as quais jornalistas e magistradas. O presidente da OAB ainda criticou a “cultura machista” que, segundo ele, faz persistir a desigualdade salarial e “perpetua” a injustiça e o desrespeito às mulheres.

“Na pessoa da nossa presidente, portanto, homenageio todas as mulheres que diuturnamente se dedicam à Justiça no Brasil. E, também na sua pessoa, cumprimento todas as trabalhadoras brasileiras, e todas as mulheres presentes nessa cerimônia – jornalistas, magistradas, trabalhadoras da Justiça do Trabalho, advogadas”, disse Santa Cruz ao discursar na cerimônia.

O presidente Jair Bolsonaro estava presente no evento e, apesar da fala de Santa Cruz ter sido aplaudida, o chefe do Executivo não fez o mesmo.

Santa Cruz é desafeto de Bolsonaro. No ano passado, o presidente da Repúblico afirmou que o pai do tirular da OAB teria sido assassinado em 1970 por companheiros de um “grupo terrorista” de luta armada, e não por militares da ditadura militar.

Na manhã de terça-feira (18/02/2020), o presidente Bolsonaro questionou, em frente ao Palácio da Alvorada, com insinuação de caráter sexual, a atuação da jornalista do jornal Folha de S.Paulo Patrícia Campos Mello, em reportagens sobre o disparo massivo de mensagens durante a campanha eleitoral.

“Ela queria um furo. Ela queria dar um furo [pausa, pessoas riem] a qualquer preço contra mim”, disse o chefe do Executivo na ocasião.

Últimas notícias