Rui Costa não vai participar de inauguração de aeroporto com Bolsonaro

O evento, na avaliação do governador da Bahia, transformou-se apenas em “uma convenção político-partidária” para o presidente e aliados

Valter Campanato/Agência Brasil)

atualizado 22/07/2019 18:49

Em vídeo publicado nas redes sociais na tarde desta segunda-feira (22/07/2019), o governador da Bahia, Rui Costa (PT), disse que não participará da inauguração do Aeroporto Glauber Rocha, em Vitória da Conquista, agenda que contará com a presença do presidente Jair Bolsonaro (PSL), nesta terça (23/07/2019).

Confira:

Segundo o governador, a cerimônia se transformou em uma convenção político-partidária, sem a participação popular. “A medida anunciada é excluir o povo da inauguração, fazer uma inauguração restrita a poucas pessoas, escolhidas a dedo, como se fosse uma convenção político-partidária. Não posso concordar com isso”, disse ao explicar a decisão.

O evento tem sido considerado uma forma de amenizar os conflitos na relação do presidente da República com o eleitorado nordestino. Esse clima acabou agravado com o uso da expressão “paraíba”, utilizada por Bolsonaro na última sexta-feira (19/07/2019) para se referir aos nordestinos.

Além disso, estão escalados para discursar na inauguração aliados do governo federal que são contrários ao governador petista, como o prefeito de Salvador, Antônio Carlos Magalhães Neto (DEM), e o líder do DEM na Câmara, Elmar Nascimento.

Diante da tomada do evento pelos partidos governistas, o governador disse que usou a boa educação ao convidar o governo federal para a inauguração, mas “confundiram com covardia” sua atitude.

“Exercitando a boa educação que aprendi, convidei o governo federal a se fazer presente no ato de inauguração, nesta grande festa. Infelizmente, confundiram a boa educação com covardia e, desde então, temos presenciado agressões ao povo do Nordeste e ao povo da Bahia. A medida anunciada é excluir o povo da inauguração, fazer uma inauguração restrita a poucas pessoas, escolhidas a dedo, como se fosse uma convenção político-partidária”, reclamou.

“Não posso concordar com isso. Por isso, não vou comparecer à inauguração do aeroporto que o povo da Bahia construiu, que o governo do estado construiu. Porque entendo que o Brasil precisa de paz para crescer e para gerar emprego. Quero pedir a Deus e ao Senhor do Bonfim que continuem iluminando meus passos, me dando serenidade e saúde para que eu continue trabalhando pelo povo da Bahia, pelo povo do Nordeste e pelo povo brasileiro. Que Deus nos abençoe”, disse.

Pelo Twitter, Costa afirma que o aeroporto deve ser inaugurado “por quem trabalhou e pelo povo”.

Últimas notícias