Renan diz que Onyx coagiu testemunha, pede convocação e ameaça prisão

Relator da CPI da Covid afirmou que manifestações do ministro dirigidas ao deputado Luis Miranda são "abomináveis"

atualizado 24/06/2021 10:31

Renan Calheiros_CPI da CovidEdilson Rodrigues/Agência Senado

O relator da CPI da Covid, Renan Calheiros (MDB-AL), voltou a defender, nesta quinta-feira (24/6), a convocação do ministro-chefe da Secretaria-Geral, Onyx Lorenzoni, após acusações e ameaças feitas ao deputado federal Luis Miranda (DEM-DF), que é testemunha do colegiado sobre suposto favorecimento do governo federal à empresa Bharat Biontec no processo de aquisição de doses da vacina Covaxin.

O senador classificou as falas de Onyx como “abomináveis”. “Vamos convocá-lo imediatamente e, se ele reincidir na coação, vamos pedir a prisão dele”, afirmou a jornalistas antes de entrar na sessão desta manhã.

Calheiros já havia sinalizado a convocação do ministro na noite dessa quarta (23/6). Na ocasião, o relator chamou de “desespero” as manifestações do Planalto sobre as acusações envolvendo a compra dos imunizantes indianos.

A denúncia de irregularidades na compra das vacinas indianas Covaxin, com ciência do presidente, movimentou o dia dos senadores da CPI.

Em resposta às acusações do deputado, Lorenzoni afirmou que a Polícia Federal e a Controladoria-Geral da União (CGU) foram acionadas para investigar o político e o irmão, Luis Ricardo, chefe de importação do Departamento de Logística em Saúde do Ministério da Saúde.

Em entrevista coletiva, o ministro disse: “Deputado Luis Miranda, Deus tá vendo. Mas você não vai se entender com Deus só não. Vai se entender com a gente també”.

Últimas notícias