Renan critica censura “branda” do CNMP a Dallagnol e vai pedir indenização

O senador afirmou que a advertência dada pelo órgão ao procurador não é compatível com "a odiosa perseguição" que sofreu nas redes sociais

atualizado 08/09/2020 14:27

Renan CalheirosMichael Melo/Metrópoles

O senador Renan Calheiros (MDB) usou as redes sociais, nesta terça-feira (8/9), para reclamar da decisão do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) de punir o procurador Deltan Dallagnol com censura. Para o parlamentar, a advertência foi “branda”.

“A advertência do CNMP é branda para a odiosa perseguição contra mim”, escreveu o senador no Twitter.

Segundo Renan, Dallagnol usou das redes sociais para fazer “campanhas políticas opressivas e postagens fakes” contra ele.

Ele ainda citou o fato de ter se tornado investigado após as declarações do procurador e disse que entrará com uma ação civil para reparação de danos morais.

Entenda

Mais cedo, o CNMP aceitou, por 9 votos a 1, a aplicação de pena de censura contra o procurador Deltan Dallagnol pela atuação nas redes sociais durante a eleição para a presidência do Senado, em 2019.

A ação foi apresentada por Calheiros, que alegou interferência de Dallagnol na disputa pela presidência do Senado. As postagens diziam, por exemplo, que caso Calheiros fosse eleito, “dificilmente veremos reforma contra corrupção aprovada”.

0

 

Últimas notícias