PSol pede que Câmara investigue deputados acusados pela CPI da Covid

Estão na lista Eduardo Bolsonaro, o ministro Onyx Lorenzoni e o líder do governo, Ricardo Barros

atualizado 27/10/2021 20:15

Deputada Talíria PetroneGustavo Moreno/Metrópoles

A bancada do PSol na Câmara protocolou, nesta quarta-feira (27/10), uma representação na Corregedoria da Casa contra os sete deputados federais indiciados no relatório da Comissão Parlamentar de Inquérito da Covid-19, encerrada na terça-feira (26/10), no Senado.

Estão na lista o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR), e o atual ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência da República, Onyx Lorenzoni (DEM-RS), que é deputado federal licenciado devido ao cargo no Executivo.

Além deles, também foram indiciados os bolsonaristas Bia Kicis (PSL-DF), Carla Zambelli (PSL-SP), Osmar Terra (MBD-RS) e Carlos Jordy (PSL-RJ).

“Crimes”

Entre os supostos crimes cometidos pelos deputados estão: advocacia administrativa, formação e organização criminosa, improbidade administrativa, epidemia com resultado de morte, incitação ao crime e crimes contra a humanidade nas modalidades extermínio, perseguição e outros atos desumanos.

A líder do partido, deputada Talíria Petrone (RJ), apontou que os crimes atribuídos aos deputados estão diretamente ligados à causa da morte de mais de 600 mil brasileiros na pandemia.

“Os deputados indiciados pela CPI são cúmplices de Jair Bolsonaro no negacionismo, no obscurantismo e na divulgação de tratamentos ineficazes contra a Covid. E isso causou a morte de mais de 600 mil brasileiros. A Câmara não pode ignorar esses fatos graves e tem que investigar parlamentares que prejudicaram a economia e colocaram em risco a saúde pública e coletiva”, afirma a líder da bancada.

A representação destaca que os parlamentares “propagaram fake news em meio a uma pandemia que colapsou a saúde pública do país, desidratou a economia, e levou mais de 600 mil brasileiros e brasileiras à óbito. Suas ações deram vez e voz a posturas anticientíficas, que encorajaram milhares a utilizarem de métodos hoje reconhecidamente ineficazes pelas organizações de saúde – como a Cloroquina e o tratamento precoce, por exemplo. Para além disso, fizeram – e fazem – verdadeira cruzada contra a vacinação.”

O relatório final da CPI foi anexado à representação protocolada nesta quarta.

O pedido foi apresentado no mesmo dia em que o presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL), anunciou que pedirá ao Conselho de Ética da Casa que analise se a CPI da Covid violou as prerrogativas dos deputados, como o direito à opinião, ao incluir os parlamentares entre os indiciados. Lira declarou que o indiciamento dos deputados “é inaceitável”.

0

 

Mais lidas
Últimas notícias