PSol pede investigação de Bolsonaro por crime de responsabilidade

Para o partido de oposição, presidente atentou contra instituições ao divulgar vídeo chamando para manifestações

Divulgação

atualizado 26/02/2020 16:48

Em ofício encaminhado ao procurador-geral da República, Augusto Aras, a bancada do PSol na Câmara dos Deputados apresentou à Procuradoria-Geral da República (PGR) pedido de investigação contra o presidente Jair Bolsonaro em relação a possível crime de responsabilidade.

O crime seria decorrente da atitude do mandatário do país ao divulgar, por meio do WhatsApp, um vídeo de chamamento para manifestações que defendem, entre outros pontos, o fechamento do Congresso Nacional e do Supremo Tribunal Federal (STF).

A representação foi oferecida nesta quarta-feira (26/02/2020) e é assinada pelos 10 parlamentares do partido – entre os quais, a atual líder da bancada, deputada Fernanda Mechionna (RS).

“Resta, pois, diante da forte aparência do cometimento de crime e ilícitos absolutamente danosos à democracia, à liberdade, à atuação independente dos Poderes e ao funcionamento do Poder Legislativo, a imperiosa e imediata averiguação, pelo Ministério Público Federal, de eventual prática de crime ou de ilícitos e a tomada de medidas visando a responsabilização do ora Representado”, destaca o documento.

“É muito grave que o presidente, inimigo das liberdades democráticas, convoque uma manifestação pelo fechamento do Congresso e do STF. Precisamos que todas as vozes democráticas se manifestem. Quando fecharam o Congresso, em 64, vivemos por 21 anos um regime que torturou, matou e afundou o Brasil em arrochos salariais, corrupção e endividamento. É hora de construir uma ampla mobilização contra o reacionarismo e a agenda antipovo desse governo”, frisou a líder.

Agenda
Além do pedido, o PSol ainda chama uma agenda de manifestações contra o presidente. No dia 8 de março, o convite às ruas faz referência ao Dia Internacional de Luta das Mulheres. No dia 14 do mesmo mês, o assassinato da vereadora Marielle Franco completa dois anos.

A legenda ainda chama para participação nos protestos marcados para 18 de março, na Greve Nacional da Educação.

Confira a íntegra do documento:

Convocação de ato contra o Congresso by Metropoles on Scribd

Últimas notícias