Padre faz boletim de ocorrência após ataques de “Mamãe Falei” e ameaças

"Depois dos ataques de alguns candidatos à Prefeitura contra mim, estou cada vez mais em risco", relatou o sacerdote Julio Lancelotti

atualizado 15/09/2020 17:42

Coordenador da pastoral do Povo de Rua, o padre Julio Lancellotti, da paróquia São Miguel Arcanjo, no bairro da Mooca, em São Paulo (SP)reprodução/ rede social

Coordenador da pastoral do Povo de Rua, o padre Julio Lancellotti, da paróquia São Miguel Arcanjo, no bairro da Mooca, em São Paulo (SP), registrou um boletim de ocorrência nesta terça-feira (15/9) após ser xingado e ameaçado.

Nesta manhã, o padre publicou um vídeo em uma rede social em que relatou estar cada vez mais em risco após “ataques de alguns candidatos à Prefeitura”.

Nessa segunda-feira (14/9), o deputado estadual Arthur do Val (Patriota-SP), o “Mamãe Falei”, pré-candidato à prefeito de São Paulo, acusou o sacerdote de “cafetão da miséria” por ter se posicionado contra uma abordagem da guarda municipal na Cracolândia.

“Passou uma moto e o cara falou: ‘Padre filho da puta que defende noia’. Depois dos ataques de alguns candidatos à Prefeitura contra mim, estou cada vez mais em risco”, relatou Julio Lancellotti, em vídeo.

“Então, quero deixar claro: se me acontecer alguma coisa, se alguém me atingir, se eu for atingido por alguém, vocês sabem de quem é a culpa, sabem de quem cobrar”, prosseguiu o líder religioso, sem citar nominalmente o deputado estadual.

No sábado (12/9), o padre Júlio acusou um “candidato a prefeito e a vereador” de ter promovido propaganda eleitoral ao filmar a ação da Polícia Militar e da Guarda Municipal na Cracolândia. “Como sabiam do ataque?”, questionou o sacerdote.

Últimas notícias