Moro: “O presidente tem preocupação com inquéritos no STF”

Ministro da Justiça disse que não teria dificuldades em substituir o comando da Polícia Federal, mas que “precisava de motivos”

atualizado 24/04/2020 12:10

Após pedir demissão, o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro afirmou que prezou por escolhas técnicas. “Não são aceitáveis indicações políticas”, avaliou.

Nesta sexta-feira (24/04), Moro disse que não teria dificuldades em substituir o comando da Polícia Federal, mas que “precisava de motivos”.

Moro deixa o governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) após a demissão de Marcelo Valeixo do comando da corporação. “Teria que ser uma falha grave”, exemplificou.

Segundo ele, Bolsonaro afirmou “ter preocupação com inquéritos em curso no Supremo Tribunal Federal (STF)”.

Ele emendou. “Não é a questão do nome. Há outros delegados competentes. O problema dessa troca é a violação do que me foi prometido, não tem uma causa e tem impacto na efetividade da Polícia Federal”, destacou.

Moro afirmou que Bolsonaro tem a intenção de trocar a chefia de superintendências. Para o ex-juiz, isso atrapalha as investigações em curso.

“Falei com o presidente que seria uma intervenção politica [na PF], e ele disse que ‘seria mesmo’”, detalhou.

O ex-ministro disse que preferências pessoais não podem dar lugar às indicações técnicas.

“Presidente disse que queria ter uma pessoa que fosse do contato dele, que ele pudesse ligar, colher informações e pegar relatórios. Mas esse não é o papel da Polícia Federal. A autonomia é fundamental”, salientou.

Últimas notícias