Maia pede desculpas à China por fala de Eduardo Bolsonaro

Presidente da Câmara chamou declarações do filho "03" de Jair Bolsonaro, culpando o país asiático pelo coronavírus, de "irrefletidas"

atualizado 19/03/2020 0:29

Andre Borges/Esp. Metrópoles

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), usou seu perfil no Twitter já no início da madrugada desta quinta-feira (19/03) para pedir desculpas à China e ao embaixador chinês no Brasil, Yang Wanming, pelas declarações do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) na quarta-feira (18/03), que criaram uma crise diplomática entre os dois países.

Maia prosseguiu: “A atitude não condiz com a importância da parceria estratégica Brasil-China e com os ritos da diplomacia. Em nome de meus colegas, reitero os laços de fraternidade entre nossos dois países. Torço para que, em breve, possamos sair da atual crise ainda mais fortes”.

Tudo começou quando o filho “03” do presidente Jair Bolsonaro retuitou a postagem de um seguidor chamado Rodrigo da Silva. A mensagem replicada por Eduardo Bolsonaro, a quem o presidente desejava indicar para ser o embaixador do Brasil nos Estados Unidos, afirma que “a culpa pela pandemia do coronavírus” é do Partido Comunista Chinês. Eduardo também afirma que “quem assistiu” à minissérie Chernobyl vai entender o que aconteceu. “Substitua a usina nuclear pelo coronavírus e a ditadura soviética pela chinesa”, postou o parlamentar.

A postagem provocou reação quase instantânea do embaixador da China no Brasil, Yang Wanming. Na conta pessoal no Twitter e na da embaixada, o representante asiático mostrou inconformidade com o gesto do parlamentar brasileiro.

“A parte Chinesa repudia veementemente suas palavras, e exige que as retire imediatamente e peça uma desculpa ao povo chinês“, escreveu Wanming. Em outra postagem, disse que, ao voltar da viagem a Miami (EUA), Eduardo contraiu “vírus mental” que estaria “infectando a amizade” entre Brasil e China. Informa, ainda, que vai protestar junto ao Itamaraty e à Câmara dos Deputados.

Últimas notícias