Leite e Doria criticam atos pró-Bolsonaro: “Nosso país não tem dono”

Os governadores do RS e de SP, frequentemente atacados pelo presidente, defenderam a democracia e disseram que não vão tolerar retrocessos

atualizado 07/09/2021 19:57

Hugo Barreto / Metrópoles

O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), frequente alvo de ataques do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), afirmou nesta terça-feira (7/9) que “as cores do nosso país não tem dono”.

“Inflação, desemprego, apagão de energia, desmatamento da Amazônia, pandemia… Esses deveriam ser os inimigos do Presidente da República do Brasil, e não outros brasileiros”, disse Leite.

E continuou: “Mas Bolsonaro se engana: nossas cores e nosso país não têm dono. Iremos defender os brasileiros e a democracia que ele ataca”.

O governador do RS não foi o único a criticar os atos convocados por Bolsonaro para o 7 de Setembro. Inimigo declarado do presidente, João Doria, governador de São Paulo, afirmou que “não podemos tolerar retrocessos”.

“Foi num grito de independência há 199 anos. Não podemos tolerar retrocessos. Que o Estado Democrático de Direito e os valores da liberdade sempre prevaleçam sobre o autoritarismo para o Brasil voltar a crescer, gerar empregos e diminuir as diferenças sociais”, escreveu no Twitter.

Mais tarde, o governador de São Paulo fez outro post no Twitter.

O presidente do PSDB, Bruno Araújo, convocou reunião extraordinária da executiva para discutir a possível abertura de impeachment. “Diante das gravíssimas declarações do presidente da República no dia de hoje, [vamos] discutir a posição do partido sobre abertura de impeachment e eventuais medidas legais”, informou o perfil oficial do PSBD no Twitter.

Mais lidas
Últimas notícias