Indígenas não precisam de lobistas, diz Ricardo Salles a deputados

O ministro do Meio Ambiente defendeu no Congresso a aprovação do projeto de licenciamento ambiental

atualizado 03/05/2021 14:27

Ricardo SallesRafaela Felicciano/Metrópoles

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, afirmou, nesta segunda-feira (3/5), que as populações indígenas “não precisam de lobistas” para defender os interesses e defendeu que o Congresso Nacional aprove o projeto de licenciamento ambiental.

Segundo o ministro, cabe à sociedade, ao Congresso e ao governo federal criar condições para essas atividades serem desempenhadas, de acordo com “as regras ambientais, com regras de licenciamento claras e parâmetros a serem observado, e não protelar essa decisão.”

“É uma questão de respeitar o que querem os indígenas. Não há uma opinião homogênea a ser atribuída a eles. Há população indígenas que querem, aliás, que já fazem mineração eles próprios, há populações indígenas que já fazem agricultura, tem os Parecis que servem de exemplo. São exemplos que demonstram que os próprios indígenas têm vontade própria e não devem falar por eles ONGs, pseudos-acadêmicos, antropólogos”, declarou Salles, em audiência na Câmara dos Deputados.

“Quem fala pelo indígena é ele mesmo, até porque muitos deles têm telefones, acesso à internet, tem uma serie de mecanismos que felizmente chegou até a população indígena, vejo isso com bons olhos. E que permitem que eles falem por si próprios”, acrescentou.

O deputado federal Neri Geller (PP-MT), vice-presidente da Frente Parlamentar do Agronegócio, deve apresentar nos próximos dias o relatório do projeto de licenciamento ambiental.

0

Últimas notícias