“In Mandetta I trust”, diz Rosângela Moro – e apaga pouco depois

Advogada, mulher do ministro da Justiça, apoia titular da Saúde: "Entre a ciência e achismos eu fico com a ciência"

Rosangela aparece com Sergio MoroReprodução Instagram

atualizado 03/04/2020 0:06

Poucas horas depois de o presidente Jair Bolsonaro dar uma entrevista à rádio Jovem Pan, na qual afirmou que “tá faltando um pouco mais de humildade” ao ministro Luiz Henrique Mandetta na condução dos esforços contra o coronavírus no país, a advogada Rosângela Wolff Moro – mulher do ministro da Justiça, Sergio Moro – fez uma defesa firme do titular da Saúde em um post no Instagram, na noite desta quinta-feira (02/04).

“Entre ciência e achismos eu fico com a ciência. Se você chega doente em um médico, se tem uma doença rara você não quer ouvir um médico? @henriquemandetta tem sido o médico de todos nós e minhas saudações são para ele. In Mandetta I trust”, dizia a publicação, com uma adaptação da já célebre fala do procurador Deltan Dallagnol sobre o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luiz Fux, “In Fux we trust” – revelada em série do The Intercept Brasil.

O post, entretanto, foi apagado, menos de uma hora depois, mas o print do texto foi publicado por diversos sites de veículos de comunicação, como os da revista Época e do portal GaúchaZH. A avaliação de Rosângela logo viralizou nas redes sociais, por colocar mais lenha na fogueira das tensões entre Mandetta e Bolsonaro, pois o texto foi interpretado como um “chega pra lá” no chefe do marido, um dos ministros mais populares do governo.

Minutos depois do post de Rosângela, Moro também postou, mas no Twitter: “Pela manhã, dei entrevista à Rádio Gaúcha, defendi isolamento, quarentena, muita cautela na soltura de presos por juízes (não há infectados nas prisões), apoio aos necessitados, e muita calma. Juntos, sairemos mais fortes”.

Bolsonaro está numa queda de braço nada privada com o médico de Mato Grosso do Sul, hoje a face mais visível da batalha contra o coronavírus, para tentar dobrar a área técnica do governo e afrouxar a atual política de isolamento social contra a propagação do coronavírus. Na entrevista ao jornalista Augusto Nunes, Bolsonaro foi duro com seu ministro da Saúde:

“O Mandetta sabe que a gente tá se bicando há algum tempo. Eu não pretendo demiti-lo no meio da guerra. Ele sabe que, em algum momento, ele extrapolou. (…) Se ele se sair bem, sem problema nenhum. Agora, nenhum ministro é indemissível. Em alguns momentos, ele teria que ouvir mais o presidente da República. (…) O Mandetta quer fazer muito a vontade dele. Pode ser que ele esteja certo, mas tá faltando um pouco mais de humildade”, declarou.

 

 

Últimas notícias