Governo cancela contratos do “tratoraço” após CGU indicar sobrepreço

Nos quatro últimos meses, o Ministério do Desenvolvimento Regional, responsável por liberar os recursos, negou as irregularidades

atualizado 14/09/2021 15:34

Tratores doados pela Codevasf estacionados na superintendência regional da CONAB em Goiás - Goiânia (GO) 11/05/2021Fotos: Vinícius Schmidt/Metrópoles

Após a Controladoria-Geral da União (CGU) ter indicado sobrepreço nos contratos do “tratoraço” (como é chamado o suposto esquema de destinação de verbas sem transparência), o Ministério do Desenvolvimento Regional decidiu pela suspensão dos acordos para a compra de máquinas agrícolas. O montante referente a esses contratos somava R$ 3 bilhões.

A operação foi revelada pelo jornal O Estado de S.Paulo. Nos quatro últimos meses, a pasta federal responsável por liberar os recursos negou as irregularidades e só decidiu interromper os pagamentos depois que o CGU confirmou a ocorrência de trâmites fraudulentos.

Temporariamente, foram bloqueados 115 acordos firmados com municípios. Dos 188 convênios celebrados com verbas de emenda do relator, a CGU identificou riscos em 61% deles, com preço “alto ou extremo”. De acordo com o jornal, técnicos calcularam que o prejuízo aos cofres públicos poderia chegar a R$ 12,1 milhões.

O ministério, então, resolveu renegociar com as partes, que aceitaram a redução de R$ 113 milhões no valor final. Na contramão, cinco lotes foram cancelados porque as empresas não quiseram abaixar os custos, o que levaria a um gasto de R$ 16 milhões.

Últimas notícias