“Feliz coincidência”, diz Zambelli sobre operação da PF contra Witzel

Deputada federal Carla Zambelli antecipou nessa segunda-feira (25/05) que governadores são alvos da Polícia Federal

atualizado 26/05/2020 11:39

A deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) disse que a Operação Placebo, deflagrada um dia após ela revelar que governadores são alvos da Polícia Federal (PF), é uma “feliz coincidência”.

O Palácio das Laranjeiras, residência oficial do governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), foi alvo da ação policial nesta manhã.

Zambelli negou, em entrevista à CNN Brasil, saber da Operação Placebo. Mas disse, em seguida, esperar que outros governadores sejam alvos de desdobramentos da investigação.

“[Foi uma] feliz coincidência. Espero que muitas outras [operações] venham a acontecer no Rio de Janeiro e em outros estados”, disse a parlamentar, aliada ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Ela questionou também o fato de ter falado publicamente sobre as investigações da Polícia Federal contra os governadores. “Se eu soubesse [da operação] falaria isso publicamente? Principalmente eu, que sou uma pessoa que tento proteger o governo?”, afirmou.

“Se há algum tipo de interferência, então o presidente também está agindo em cima do STJ?”, perguntou. A Operação Placebo foi autorizada pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Cortina de fumaça

Carla Zambelli afirmou ainda que o governador do Rio, Wilson Witzel, está tentando jogar uma “cortina de fumaça” ao criticar supostas informações privilegiadas do presidente Jair Bolsonaro.

0

Em nota divulgada nesta manhã, o governador disse estranhar que deputados bolsonaristas tenham anunciado em redes sociais nos últimos dias uma operação da Polícia Federal direcionada contra ele.

“Ele deveria estar preocupado com o processo, não com a minha fala. Ele próprio externou preocupações com pedidos de prisão dele”, completou a parlamentar.

Últimas notícias