Operação Placebo: PF apreende celulares e computadores na casa de Witzel

O governador do Rio é alvo de busca e apreensão após suspeitas de fraude em licitações na Saúde do estado

atualizado 26/05/2020 11:59

A Polícia Federal apreendeu computadores e telefones do governador Wilson Witzel, do Rio de Janeiro, durante busca no âmbito da Operação Placebo. A força-tarefa foi desencadeada nesta terça-feira (26/05), após autorização do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

O ministro Benedito Gonçalves autorizou o mandado de busca e apreensão na casa do governador para apurar suposta fraude na Saúde do estado.

Segundo a força-tarefa, há indícios de desvios de recursos públicos destinados ao atendimento do estado de emergência de saúde pública devido ao novo coronavírus.

Entenda

As investigações, que tiveram início no Ministério Público Estadual (MPRJ) e Ministério Público Federal (MPF), apontaram a existência de um esquema de corrupção envolvendo uma organização social contratada para a instalação de hospitais de campanha e servidores da cúpula da gestão do sistema de saúde do estado.

Outros endereços também são alvos da ação, entre eles a antiga residência de Witzel, no bairro do Grajaú.

A Secretaria de Saúde do Rio de Janeiro já vinha sendo investigada pelo Ministério Público. No último dia 7, o ex-subsecretário estadual de Saúde Gabriell Neves foi preso em operação do Grupo de Atuação Especializada no Combate à Corrupção (Gaecc).

Neves e outras quatro pessoas são suspeitas de participar de organização criminosa que tinha o objetivo de obter vantagens em contratos emergenciais para a aquisição de respiradores pulmonares para tratar pacientes com Covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus.

O caso levou o governador Wilson Witzel a exonerar o então secretário de Saúde, Edmar Santos, no último dia 17.

0

Últimas notícias