Faixas com insultos são colocadas em frente à Embaixada da China

Material ofendia o presidente chinês, Xi Jinping, e o embaixador do país no Brasil, após discussão com o deputado federal Eduardo Bolsonaro

atualizado 20/03/2020 21:49

Faixas contra Xi Jinping são colocadas na frente da Embaixada da ChinaReprodução

Enquanto o presidente Jair Bolsonaro repetia no Palácio do Planalto que tem uma relação “excepcional” com o presidente da China, Xi Jinping, e que nunca houve uma frase sequer de ofensa do governo brasileiro contra a China, faixas com insultos explícitos ao presidente do país asiático e a seu embaixador em Brasília foram colocadas na frente da representação chinesa na capital federal.

Além de Xi Jinping, as faixas também continham mensagens ofensivas contra o embaixador chinês no Brasil, Yang Wanming. Os cartazes tinham as fotos de ambos ao lado de dizeres como “son of bitch” e sua versão em português, “filho da puta”, e a hashtag “China Lied People Died (China mentiu pessoas morreram)”.

As ofensas, instaladas na frente da Embaixada da China no Brasil, ocorrem após o deputado Eduardo Bolsonaro, filho de Bolsonaro, ter postado em suas redes sociais mensagens culpando o Partido Comunista Chinês pela propagação do vírus no mundo. O embaixador, por sua vez, reagiu, dizendo que Eduardo havia contraído “vírus mental” e exigindo um pedido de desculpas.

As faixas foram postas por um homem que teria feito imagens após a instalação.

A troca de mensagens também gerou manifestações de outras autoridades brasileiras, na tentativa de demonstrar que a ofensa feita por Eduardo Bolsonaro não representa a opinião dos chefes dos poderes constituídos.

Os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RS), e do Senado, Davi Alcumbre (DEM-AP), também se retrataram com o embaixador Yang Wanming, com o objetivo de manter a boa relação com o país asiático.

Entenda

Tudo começou quando o filho “03” do presidente Jair Bolsonaro retuitou a postagem de um seguidor chamado Rodrigo da Silva. A mensagem replicada por Eduardo Bolsonaro, a quem o presidente desejava indicar para ser o embaixador do Brasil nos Estados Unidos, afirma que “a culpa pela pandemia do coronavírus” é do Partido Comunista Chinês. Eduardo também afirma que “quem assistiu” à minissérie Chernobyl vai entender o que aconteceu. “Substitua a usina nuclear pelo coronavírus e a ditadura soviética pela chinesa”, postou o parlamentar.

A postagem provocou reação quase instantânea do embaixador da China no Brasil, Yang Wanming. Em sua conta pessoal no Twitter e na da embaixada, o representante asiático mostrou inconformidade com o gesto do parlamentar brasileiro.

“A parte chinesa repudia veementemente suas palavras, e exige que as retire imediatamente e peça uma desculpa ao povo chinês“, escreveu Wanming. Em outra postagem, disse que, ao voltar da viagem a Miami (EUA), Eduardo contraiu “vírus mental” que estaria “infectando a amizade” entre Brasil e China. Informa, ainda, que vai protestar junto ao Itamaraty e à Câmara dos Deputados.

Mais lidas
Últimas notícias