Depois de Maia, Alcolumbre e Anastasia pedem desculpas à China

Para o presidente e o vice do Senado, "nenhum obstáculo" vai separar os povos no combate de uma doença "tão intensa e arrasadora"

atualizado 19/03/2020 17:24

O presidente do Senado Federal, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e o vice-presidente da casa, Antonio Anastasia (PSD-MG), enviaram ofício de desculpas ao governo chinês pela fala do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL), que culpa o Partido Comunista Chinês pela pandemia do coronavírus.

“Como arrimo na sólida parceria já existente entre o Brasil e China, apresento a Vossa Excelência e a todo o povo chinês, em meu nome e do Congresso Nacional, nosso respeito, solidariedade e também nossas desculpas”, pontuou o documento.

A manifestação dos representantes do Senado brasileiro afirma que “nenhum obstáculo” vai separar os povos no combate de uma doença “tão intensa e arrasadora”. Anastasia ressaltou o fato de que encaminhava o documento em nome de Alcolumbre, afastado por estar com Covid-19, e informou que o senador seguirá em quarentena para combater essa “grave enfermidade”.

“A experiência adquirida pela China será de fundamental importância para o combate, no Brasil e no mundo”, continuou.

Na madrugada desta quinta-feira (19/03), o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, também pediu desculpas pela fala de Eduardo Bolsonaro. Pelo Twitter,  ele disse que a atitude não condiz com a relação entre os países.

Confira a íntegra do documento

Ofícios à China Assinados by Lourenço Flores on Scribd

Tudo começou quando o filho “03” do presidente Jair Bolsonaro retuitou a postagem de um seguidor chamado Rodrigo da Silva. A mensagem replicada por Eduardo Bolsonaro, a quem o presidente desejava indicar para ser o embaixador do Brasil nos Estados Unidos, afirma que “a culpa pela pandemia do coronavírus” é do Partido Comunista Chinês. Eduardo também afirma que “quem assistiu” à minissérie Chernobyl vai entender o que aconteceu. “Substitua a usina nuclear pelo coronavírus e a ditadura soviética pela chinesa”, postou o parlamentar.

A postagem provocou reação quase instantânea do embaixador da China no Brasil, Yang Wanming. Na conta pessoal no Twitter e na da embaixada, o representante asiático mostrou inconformidade com o gesto do parlamentar brasileiro.

“A parte Chinesa repudia veementemente suas palavras, e exige que as retire imediatamente e peça uma desculpa ao povo chinês“, escreveu Wanming. Em outra postagem, disse que, ao voltar da viagem a Miami (EUA), Eduardo contraiu “vírus mental” que estaria “infectando a amizade” entre Brasil e China. Informa, ainda, que vai protestar junto ao Itamaraty e à Câmara dos Deputados.

Últimas notícias