“Chegamos ao limite dos extremos”, diz Pacheco durante filiação ao PSD

Presidente do Senado fez primeiro discurso como pré-candidato ao Palácio do Planalto e criticou atual gestão

atualizado 27/10/2021 13:36

Filiação do presidente do senado, Rodrigo Pacheco, ao PSD 2 Rafaela Felicciano/Metrópoles

Em primeiro discurso como pré-candidato oficial à Presidência da República, o senador e presidente do Congresso Nacional, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), fez críticas à atual gestão do Palácio do Planalto e afirmou que o momento é de “enorme preocupação”. A fala ocorreu durante o evento de filiação do parlamentar ao PSD, realizado nesta quarta-feira (27/10).

Potencial candidato a uma terceira via, alternativa ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e Jair Bolsonaro, que despontam nas pesquisas de intenção de voto, Pacheco afirma que o país “chegou ao limite dos extremos”.

“Estamos cansados de viver em meio a incertezas e intolerância. A gravidade do momento que nos assola impõe uma tomada de decisão. O caminho para solucionar as várias crises é a união”, destacou o senador na cerimônia.

Pacheco defendeu que “passou da hora de retomarmos o equilíbrio”. “O PSD que me acolhe hoje, mais do que um partido maduro e ator importante na política, é um partido comprometido com o Brasil, com clara visão de futuro e projeto sólido para o país, com uma política responsável, democrática, voltada para o interesse maior dos brasileiros”, prosseguiu.

O presidente do Senado Federal criticou a gestão econômica do governo de Jair Bolsonaro. “Temos uma economia que não deslancha, que pena com o aumento dos preços de combustível, gás de cozinha. Temos um povo que sofre com a falta de emprego e deixa de acreditar no futuro. O Brasil precisa dar o exemplo.”

“Temos desafios enormes pela frente que precisam ser enfrentados e solucionados. A fome é flagelo inaceitável que tem castigado tantos e tantos brasileiros em um país tão rico e produtor de alimentos”, completou o senador.

Mais lidas
Últimas notícias